Portugal no caminho difícil para chegar à final do Euro 2020

A Bélgica será o próximo opositor da selecção, que tem um caminho complicado pela frente se quiser revalidar o título europeu.

Foto
Selecção vai defrontar a Bélgica Reuters/LASZLO BALOGH

Portugal segue em prova onde terá pela frente a Bélgica, actual líder do ranking da FIFA, como ontem fez questão de frisar Fernando Santos. A partida será em Sevilha, no próximo domingo.

A selecção nacional apurou-se como um dos quatro melhores terceiros classificados dos seis grupos em competição, condição que partilhou com a Suíça, República Checa e Ucrânia. Repete assim o mesmo que lhe sucedeu em 2016, quando também seguiu para a fase a eliminar do Europeu como um dos melhores terceiros.

PÚBLICO -
Aumentar

Nessa competição, os portugueses acabaram por ficar do lado teoricamente mais favorável da “chave”. Defrontaram a Croácia nos “oitavos”, a Polónia nos “quartos” e o País de Gales nas “meias”, antes da partida decisiva frente à França.

Desta vez, contudo, o terceiro lugar do Grupo F empurra a selecção nacional para o lado que, provavelmente, será o mais exigente até à final.

Assim, já no domingo, Portugal tem a Bélgica como adversário. Em caso de vitória lusa, poderá seguir-se a Itália, nos quartos-de-final. Os transalpinos defrontam nos “oitavos” uma estreante Áustria e são favoritos nesse embate. Os italianos têm exibido, até ao momento, um futebol atractivo e foram a primeira selecção a apurar-se para a fase a eliminar, com três vitórias em outros tantos jogos, sete golos marcados e zero sofridos.

E se os portugueses superarem os “quartos”, muito provavelmente terão pela frente, nas “meias”, ou a Espanha ou a França pois, se a lógica imperar, serão estas as duas seleções que medirão forças nos quartos-de-final caso ultrapassem, respectivamente, a Croácia e a Suíça.

Um cenário distinto do que teria caso tivesse terminado no segundo posto do Grupo F. Nessa circunstância Portugal jogaria com a Inglaterra, em Londres, nos “oitavos”. E, em caso de triunfo defrontaria nos “quartos” o vencedor do embate entre Suécia e Ucrânia, que cruzará, nas “meias” com quem “sair vivo” dos jogos dos “oitavos” entre Países Baixos-República Checa e País de Gales-Dinamarca.