Onde vivem as famílias LGBTI com filhos em Portugal? Mag Rodrigues quer fotografá-las

A fotógrafa e enfermeira abriu uma open call para encontrar e retratar as famílias LGBTI com filhos a residir em Portugal. Caso sejas, ou conheças, estas famílias, Mag Rodrigues pede que o contacto seja feito através do Instagram ou e-mail.

Foto
Mag Rodrigues

Quem são as famílias LGBTI portuguesas? Inspirada pelo trabalho do fotógrafo belga Bart Heynen, que conheceu no P3, Mag Rodrigues decidiu trazer a ideia para Portugal e quer retratar o dia-a-dia das famílias queer que vivem na porta ao lado. Porque, diz, “não há espaço para exclusão, as pessoas e as famílias querem todas o mesmo: respeito, amor, compreensão, crescimento”.

À fotógrafa de 30 anos interessa capturar o amor, a união, a morte, a perda. “No caso das famílias LGBTI, pensei ‘Mas porque é que nos comove olhar para os retratos destas famílias?’ Se virmos fotografias de famílias não-LGBTI já é algo banal. Mas são as mesmas pessoas: pais a educar crianças, pessoas que querem ser respeitadas”, diz Mag Rodrigues, em conversa com o P3.

“É importante trazer à tona uma realidade mais invisível, mas algo absolutamente corriqueiro, uma família. Eu sou só um veículo [para que ganhem visibilidade]”, explica. O objectivo da fotógrafa é fazer uma exposição e um livro a partir dos retratos, mas procura, ainda, apoios que permitam a sua concretização. “Também quero ter cuidado para que a amostra seja diversificada. Quero retratar pessoas de várias origens, várias etnias.”

Para a enfermeira que, entre outros assuntos, já retratou as profissões invisíveis no Hospital de Santa Maria, mulheres com doença mental e anda a registar, agora, o património da vila de Rabo de Peixe, em São Miguel, são as realidades mais escondidas e as “formas de expressão mais raras, inusitadas”, que lhe prendem o olhar.

A open call permanece aberta para todas as famílias LGBTI (lésbicas, gays, bissexuais, transgénero e intersexo) com filhos e a residir em Portugal. Caso sejas, ou conheças estas famílias, a fotógrafa pede que o contacto seja feito através da sua conta de Instagram ou por e-mail, para info@magrodrigues.com.

Em 2012, Ana Nunes da Silva e Ana Clotilde Correia tinham já contado as histórias de famílias LGBTI com filhos, numa iniciativa apoiada pela ILGA. Foram, como Mag Rodrigues, inspiradas por um trabalho feito fora de Portugal. No seu caso, por Stefan Jora, criador do The Gay Families Project, em São Francisco. “É um projecto documental, e ao mesmo tempo activista e muito bonito. E se fizéssemos em Portugal?”, perguntaram, há quase uma década.