Festival de Almada 2021: uma edição olhos nos olhos

De 2 a 25 Julho, o festival apresentará 108 sessões presenciais, sem qualquer extensão online. Colonialismo, Édouard Louis e os 50 anos da Companhia de Teatro de Almada serão alguns dos destaques. Mas também haverá criações de Ivo van Hove, Josef Nadj ou Rogério de Carvalho.

Foto
Em Omma, Josef Nadj propõe-se contar a história do mundo através da dança SOPHIE CARLES

Não há como fugir-lhe. A 38.ª edição do Festival de Almada, a decorrer de 2 a 25 de Julho em várias salas de Almada e Lisboa, será marcada por três factos em simultâneo: o início das comemorações do cinquentenário da Companhia de Teatro de Almada (CTA), o regresso do festival à sua vocação de apresentar nomes maiores dos palcos europeus, e a agilidade adquirida com a recusa, há um ano, de saltar a edição 2020 devido à pandemia e esperar por dias melhores.