Campenaerts estreia-se a ganhar, Bernal mantém vantagem

Dia no Giro marcado por queda no quilómetro inicial que levou ao abandono do português Rúben Guerreiro.

Foto
Foi a primeira vitória de Campenaerts no Giro Reuters/JENNIFER LORENZINI

Mais um dia no Giro, mais um dia em que a fuga foi até ao fim. O belga Victor Campenaerts (Team Qhubeka Assos) foi o vencedor da 15.ª etapa da Volta a Itália em bicicleta (147km entre Grado e Gorizia, após uma longa fuga, batendo no sprint final um dos seus companheiros de escapada, o holandês Oscar Riesebeek (Alpecin-Fenix).

Foi a primeira vitória no Giro para o ciclista belga, ele que, em edições anteriores, fez segundo em quatro etapas e terceiro numa. Campenaerts seguiu num grupo de 15 na fase inicial da etapa após uma queda no primeiro quilómetro que provocou, entre outros, a desistência do português Rúben Guerreiro (Education First), que seguia em 15.º da geral.

Na fase final da etapa, Campenaerts e Riesebeek fugiram aos outros fugitivos e seguiram em marcação mútua até à meta, com o belga a ser mais forte na aceleração final e a garantir a terceira vitória neste Giro para a equipa sul-africana.

Este foi um dia tranquilo para os homens que lutam pela classificação geral, mas não para todos, já que o alemão Emmanuel Buchmann (BORA-hansgrohe)​, que era sexto, também desistiu devido à queda inicial. 

Mais de 17 minutos após o vencedor da etapa, chegou o grupo onde estava o camisola rosa, Egan Bernal (Ineos), que mantém uma vantagem de 1m33s sobre o britânico Simon Yates (Team Bikeexchange) e 1m51s sobre o italiano Damiano Caruso (Bahrain).

Os dois portugueses em prova chegaram integrados no pelotão e terminaram a etapa com o mesmo tempo do camisola rosa. João Almeida subiu ao 12.º lugar da geral, a 8m32s de Bernal, enquanto Nélson Oliveira (Movistar) segue no 26.º, a 28m33s do colombiano que tem a “maglia rosa”.

O Giro vai ter uma entrada em grande na terceira e última semana, com aquela que é considerada a etapa raínha da prova, 212km entre Secile e Cortina d'Ampezzo e quatro subidas duras pelo meio, embora a chegada não seja em ascensão.