Programas regionais vão financiar os 300 milhões previstos para ciclovias

Secretário de Estado da Mobilidade espera que em dois anos Portugal tenha incentivos fiscais ao uso diário da bicicleta. Para já, o Governo deve aumentar “consideravelmente”, no final de Junho, o apoio à compra de bicicletas, que já esgotou, tal a procura.

Foto
Eduardo Pinheiro espera que este ano o país tenha uma estratégia para a mobilidade pedonal Rui Gaudencio

O secretário de Estado da Mobilidade, Eduardo Pinheiro, garante que o Governo vai, nos próximos três anos, tentar pôr em prática a maioria das 51 medidas previstas na Estratégia para a Mobilidade Activa Ciclável, incluindo a aprovação de incentivos fiscais ao uso quotidiano deste veículo e um manual para projectar ciclovias, que está em elaboração. Com um atraso de um ano, Portugal deve ter uma estratégia complementar, para a mobilidade pedonal, até ao final de 2021. Governo termina esta quarta-feira, no Norte, uma ronda com as comissões de coordenação regional, que gerem os programas operacionais regionais de onde sairão, no próximo ciclo europeu, 300 milhões previstos para a construção de infra-estruturas.