FC Porto termina a época com goleada em ritmo de treino

Com golos de Taremi, Grujic, Toni Martínez e Diogo Leite, os “dragões” derrotaram sem grandes dificuldades a Belenenses SAD e concluíram o campeonato com 80 pontos.

Foto
LUSA/ESTELA SILVA

O nível competitivo foi baixo e a intensidade colocada em campo pelas duas equipas andou sempre no limiar do mínimo exigível, mas FC Porto e Belenenses SAD despediram-se da época 2020-21 com uma partida agradável e repartida em oportunidades, mas que ficou decidida pela qualidade superior dos jogadores portistas. Num jogo que pode ter marcado o adeus de Sérgio Conceição como treinador dos “dragões”, o FC Porto venceu por 4-0, com golos de Mehdi Taremi, Marko Grujic, Toni Martínez e Diogo Leite, e colocou a fasquia final no campeonato nos 80 pontos.

A última jornada tinha arrumado de vez com as contas dos dois clubes (o FC Porto garantiu o segundo lugar e o apuramento directo para a Liga dos Campeões; a Belenenses SAD ficou fora da luta pelos seis primeiros), mas Sérgio Conceição e Petit não aproveitaram a despedida na I Liga para colocarem de início em campo uma equipa repleta de jogadores com pouca utilização.

Sem falar à imprensa desde 25 de Abril e com contrato com o FC Porto por apenas mais 41 dias, Conceição optou por não retirar a titularidade aos atletas que tinham conseguido duas vitórias claras sobre Farense (5-1) e Rio Ave (3-0). Se, em Vila do Conde, o técnico tinha feito apenas uma alteração forçada (Mbemba, castigado, deu lugar a Diogo Leite) em relação à partida contra os algarvios, desta vez a lógica manteve-se, e a única mexida voltou a ser imposta: Sérgio Oliveira substituiu o castigado Uribe.

Petit não foi tão conservador e mexeu mais (três alterações), sendo que uma modificação (troca de Tiago Esgaio, que vai ser reforço do Sp. Braga, por Diogo Calila) foi um claro ensaio já a pensar na próxima temporada.
Apesar do domínio claro dos portistas na posse de bola nos primeiros 45 minutos (quase 70%), o jogo foi repartido, com oportunidades para os dois lados, mas a qualidade dos anfitriões, juntamente com a displicência dos forasteiros, começou a desequilibrar a balança aos 14’: uma oferta de Silvestre Varela permitiu que Otávio assistisse Taremi para o primeiro golo.

A vantagem portista pouco mudou no filme do jogo e, apesar de Cassierra ter colocado a defesa dos “dragões” várias vezes em sobressalto, foi Grujic que mostrou ser um médio “com golo”. Aos 28’, bem assistido por João Mário, o sérvio fez o segundo golo em quatro jornadas.

Até ao intervalo, o Belenenses SAD continuou a ficar-se pelas intenções: Varela acertou na barra; Miguel Cardoso não conseguiu ultrapassar Marchesín por duas vezes; Tomás Ribeiro não aproveitou um erro do guarda-redes portista.
Ao intervalo, Petit trocou Tomás Ribeiro pelo nigeriano Chima Akas, que tinha apenas um minuto no campeonato, mas bastaram cinco para mais um erro da defesa de Petit: Taremi fez a 11.ª assistência e Toni Martínez o sétimo golo na I Liga.

Com o jogo resolvido, a qualidade da partida caiu a pique e os dois treinadores deram minutos a habituais segundas linhas, como Carraça, Romário Baró ou Nilton Varela, mas ainda houve tempo para Diogo Leite marcar o primeiro (e último) golo neste campeonato: após um livre de Fábio Vieira, o internacional sub-21 português fechou a goleada portista em 4-0, com um remate de cabeça.