Oliveira abandona GP de França ganho por Miller

Fabio Quartararo terminou em terceiro lugar e é agora o novo líder do Mundial de MotoGP com um ponto de vantagem sobre Francesco Bagnaia

miguel-oliveira,motogp,motores,desporto,motociclismo,
Fotogaleria
Reuters/STEPHANE MAHE
miguel-oliveira,motogp,motores,desporto,motociclismo,
Fotogaleria
Miller festeja conquista do GP de França Reuters/STEPHANE MAHE
miguel-oliveira,motogp,motores,desporto,motociclismo,
Fotogaleria
Marc Márquez sofreu duas quedas e acabou por abandonar LUSA/YOAN VALAT

Com muita categoria, o australiano Jack Miller venceu este domingo o Grande Prémio (GP) de França de MotoGP, alcançando o segundo triunfo (consecutivo) neste campeonato. Já o português Miguel Oliveira abandonou a corrida após sofrer uma queda a 15 voltas do final, quando seguia na nona posição e era o mais rápido em pista.

“Foi uma corrida com um desfecho infeliz”, lamentou o piloto de Almada, que arrancou da 10.ª posição da grelha de partida. Mesmo assim, Oliveira encontrou pontos positivos na sua prestação em França. “Sem dúvida alguma que o que fica deste fim-de-semana é a minha rapidez e competitividade em qualquer condição e o nosso enorme potencial para fazer um resultado”, justificou, citado pela sua assessoria de imprensa.

A forte chuvada que se abateu sobre o circuito de Le Mans após as primeiras voltas veio baralhar a corrida, provocando muitas quedas, antes e depois dos pilotos trocarem para motos com pneus mais adaptáveis às condições atmosféricas.

Oliveira começou por beneficiar dos percalços de alguns adversários, subindo vários lugares até entrar no top-10. Mas, no seu melhor momento na corrida, quando circulava numa parte mais lenta e molhada do circuito, não conseguiu segurar a frente da moto, acabando por cair.

“O nosso foco já está posto em Mugello [circuito onde se irá disputar o GP de Itália, a 30 de Maio] para um bom resultado”, garantiu o português, que desceu para a 19.ª posição do campeonato, com apenas nove pontos conquistados nas primeiras cinco corridas da temporada, de um total de 22.

Serenata à chuva

O azar de Oliveira e de outros pilotos, como o espanhol Marc Márquez, que também caiu num momento em que liderava em Le Mans, acabou por ser a felicidade de Jack Miller. O australiano, que vencera o GP de Espanha debaixo de sol há duas semanas, mostrou que continua a ser também um especialista em piso molhado.

Partindo da terceira posição da grelha de partida, Miller chegou à liderança, perdendo a posição para o espanhol Maverick Viñales na segunda volta. Ao mesmo tempo que começavam a cair os primeiros pingos na pista, o francês Fabio Quartararo surpreendeu os dois da frente e passou para a dianteira.

Com a chuva a intensificar-se e os pilotos obrigados a ir às boxes trocar de motos, Marc Márquez assumiu o comando, com Quartararo na segunda posição e Miller (que teve de cumprir uma penalização por ter entrado nas boxes em excesso de velocidade), um pouco mais distante, no encalço dos dois. Uma queda de Márquez deixou apenas o francês à sua frente, que acabou por ultrapassar tranquilamente pouco depois para não mais largar a liderança.

Quartararo, que não é definitivamente um especialista em pisos molhados, acabou por ser também ultrapassado pelo seu compatriota Johann Zarco, terminando no último lugar do pódio, mas recuperando o comando do Mundial. “Este terceiro lugar é como uma vitória para mim”, confessou o francês, que tem apenas um ponto de vantagem sobre o italiano da Ducati Francesco Bagnaia na classificação geral.