Jornalista acusa Manuel Alberto Valente de assédio sexual, editor nega e ameaça com processo judicial

Joana Emídio Marques acusa o editor de, em 2012, quando era director editorial da Porto Editora, a ter assediado no contexto de um jantar de trabalho. Manuel Alberto Valente diz que as acusação são falsas e promete agir judicialmente. As acusações surgem no momento em que cresce a discussão sobre assédio sexual em Portugal, num processo com semelhanças ao movimento #MeToo iniciado nos Estados Unidos.

assedio-sexual,mulheres,porto-editora,literatura,culturaipsilon,livros,
Fotogaleria
Manuel Alberto Valente tem 75 anos e, antes da direcção editorial da Porto Editora, desempenhara as mesmas funções na Dom Quixote. Foi também director-geral das Edições Asa Nuno Ferreira Santos
assedio-sexual,mulheres,porto-editora,literatura,culturaipsilon,livros,
Fotogaleria
Imagem retirada das redes sociais da jornalista Joana Emídio Marques. Segundo a jornalista, o editor Manuel Alberto Valente ter-se-á comportado de forma imprópria, como expõe no seu post desta sexta-feira DR

A denúncia surgiu num post de Facebook. Nesta sexta-feira, a jornalista Joana Emídio Marques escreveu um longo texto em que acusava Manuel Alberto Valente de assédio sexual. O caso terá alegadamente acontecido em Novembro de 2012, era Valente editor da Porto Editora (abandonou o cargo em 2020), no contexto de um jantar de trabalho. Neste domingo, através das suas redes sociais, Manuel Alberto Valente negou as acusações e afirmou ter dado ordens aos seus advogados para agirem judicialmente “contra a autora da publicação”, dado esta ser, escreve: “Atentatória da minha honra e consideração.”