Marítimo bate Sp. Braga e afasta-se da zona de risco

Formação minhota perdeu o segundo jogo consecutivo e falhou a possibilidade de selar o quarto lugar.

Foto
O Marítimo somou nova vitória e afastou-se um pouco mais dos lugares de despromoção LUSA/HOMEM DE GOUVEIA

O Marítimo venceu esta quinta-feira o Sp. Braga, por 1-0, na partida inaugural da 30.ª jornada, ascendendo provisoriamente ao 12.º lugar da classificação, com 33 pontos, posição um pouco mais desafogada graças ao golo de Joel Tagueu (76') que rendeu a terceira vitória consecutiva da formação insular. O Sp. Braga somou a segunda derrota seguida e poderá ver o Benfica distanciar-se.

Com uma vitória nos últimos quatro jogos, o Sp. Braga apresentava-se na Madeira disposto a fechar o quarto lugar e a manter uma relação de proximidade com o pódio. Ainda na zona de risco, o Marítimo abordava o jogo com a possibilidade de chegar à terceira vitória consecutiva na Liga (quinta sob o comando de Julio Velázquez), e com isso a uma posição menos delicada na tabela.

Na prática, porém, a dinâmica e intensidade do jogo do Sp. Braga obrigava a formação da casa a recuar e a esperar o momento certo para accionar as transições de Tagueu e Alipour, observados a distância segura pelo espectador Matheus.

Na baliza contrária, Amir também não tinha muito trabalho, uma gentileza do ataque minhoto, que acabava invariavelmente por não concretizar as intenções e movimentos dos seus criadores.

Neste quadro de desinspiração atacante, foi o Marítimo, no único remate de toda a primeira parte, a desperdiçar a melhor oportunidade de golo aos 45+2': Sequeira deixou a bola bater à frente e passar-lhe por cima, erro aproveitado por Edgar Costa para atirar... à barra.

Desta feita, o Sp. Braga contou com a protecção divina que o abandonara no jogo com o Sporting, regressando para o segundo tempo com determinação e a resposta adequada, num cruzamento de Galeno desviado por Zainadine para o poste de Amir.

Mas a eficácia continuava a trair os “guerreiros” e alimentar a esperança dos madeirenses, que chegaram mesmo ao golo e à vitória num lance em que Tagueu surgiu isolado nas costas de Esgaio para sentenciar o encontro