Morreu Nuno Ortigão, autarca da Foz do Douro e antigo quadro da Metro do Porto

Antigo director de exploração do Metro do Porto tinha sido eleito, por duas vezes, presidente da União de Freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde.

Foto
DR

A Câmara do Porto vai assinalar, esta quinta-feira, um dia de luto municipal pela morte do presidente da União de Freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde. Nuno Ortigão morreu esta quarta-feira, aos 57 anos, vítima de cancro. 

Natural do Porto, Nuno Ortigão desempenhou funções de director de comunicação e, mais tarde, de exploração na empresa Metro do Porto. No seu site, o município recorda que, depois de se ter licenciado em Ciências Históricas pela Universidade Portucalense em 1988, o autarca concluiu, uma década mais tarde, uma pós-graduação em Gestão pelo Instituto Superior de Estudos Empresariais (ISEE) da Universidade do Porto. Nessa altura era “director de comunicação de uma grande empresa nacional”.

Chegou à Metro já em 2000, vindo da STCP, com Oliveira Marques, gestor que acumulava, nessa altura, a liderança da histórica empresa de transporte rodoviário do Porto e do sistema de metropolitano, que dava os primeiros passos. Foi mandatado para criar a direcção de comunicação da empresa. Jorge Morgado, actual responsável por esse sector na Metro, recorda o papel do antigo companheiro na criação da marca da empresa, um “m” serpenteando dentro de um círculo, e lembra que já tinha sido ele a desenvolver na STCP o logótipo que esta outra empresa ainda utiliza. 

"São duas marcas que rolam pela cidade. São as marcas que o Nuno deixa”, assinala Jorge Morgado, explicando que, quer na comunicação, quer mais tarde no trabalho operacional, enquanto director de exploração, Nuno Ortigão tentou sempre "nivelar por cima” a imagem da empresa, ajudando, por exemplo, a que esta abrisse portas das estações às iniciativas culturais.

Nuno Ortigão ainda manteve a actividade na empresa após a eleição para as freguesias do lado mais ocidental do Porto, pelo grupo de independentes liderados por Rui Moreira, em 2013. Mas dada a importância que atribuía ao trabalho autárquico, explica o amigo, saiu da empresa em 2016. Em 2017, viu reforçada a maioria absoluta que conquistara quatro anos antes, conseguindo, aliás, o melhor resultado entre as freguesias ganhas por Rui Moreira, lembra Morgado.

Segundo o município, o corpo de Nuno Ortigão de Oliveira estará em câmara ardente, a partir das 16 horas desta quarta-feira, na Igreja do Foco, na Boavista.