Somos nós que devemos explicações à Sofia Arruda

Não é a Sofia Arruda que nos deve explicações. É este Portugal macho e anacrónico que deve explicações à Sofia e a todas as outras vítimas do assédio sexual.

Em país de brandos costumes, não há #MeToo, nem abusos sexuais na igreja, nada de maus-tratos e abusos sexuais nas seleções de ginastas. As black lives por cá já contam tudo, lá nos Estados Unidos é que são precisos movimentos para afirmar que they matter.