O primeiro gin português de flor de cânhamo chega com Benefício

A par de três receitas (Herbal, Estival e Delicado), a marca Benefício apresenta os seus primeiros NFTs (non-fungible token, na sigla inglesa) numa peça musical de 700 segundos, parceria criativa de Tiago Castro e Nuno Gervásio.

Foto

“Ninguém Sabe o que é, mas vai ser incrível”. O principio criativo da editora mantém-se. O Benefício, editora com aposta no modelo de produção limitada e na utilização de métodos e matérias-primas artesanais e sustentáveis, acaba de lançar o primeiro gin português de flor de cânhamo, produzido e engarrafado em Portugal em três séries limitadas a cem unidades numeradas: Herbal, Estival e Delicado.

“A exploração de matérias-primas diferenciadoras e cujo impacto ambiental seja positivo é algo que faz parte do ethos do Benefício e o cânhamo cumpre todas essas premissas”, justifica Paulo Fernandes, co-fundador da marca, referindo-se à “versatilidade” e ao “baixo impacto ambiental” da produção do gin de flor de cânhamo Benefício que tem como base o zimbro e uma infusão de dez botânicos, “cuja a magia é dada pela erva príncipe, cardamomo e gengibre.”

Foi num contexto “de descoberta e de inovação” que a Associação Nacional de Bebidas Espirituosas se juntou a O Benefício e facilitou uma colaboração especial com a GinT (The Strongest Portuguese Gin) para o lançamento do produto que se segue ao azeite virgem extra, aos licores (de ginja, de medronho e mel e de alfarroba) e às aguardentes (de figo e de medronho).

Fotogaleria

“Ter um gin no qual o cânhamo, que é uma planta curiosa e com sabores muito herbáceos, desempenharia o papel de vocalista colocou-nos desde logo um desafio muito enriquecedor, pois teríamos de encontrar uma forma de o compensar através da frescura e doçura”, apresenta Tiago Sanches, da GinT e master distiller do projecto, que descreve o Gin de Flor de Cânhamo como “um gin da nova era” com três receitas. “Cada uma com a sua personalidade, mas todas com o mesmo ADN”, sublinha Ricardo Nunes, co-fundador do Benefício.

O valor de cada garrafa é de 34 euros, sendo que o pack de três unidades, a Família Feliz, tem um custo de 86 euros.

A marca aproveita a oportunidade para se estrear na edição dos primeiros 100 NFTs (non fungible token – essencialmente, elementos digitais únicos), uma espécie de certificado digital, estabelecido via blockchain, que define originalidade e exclusividade. Trata-se de uma nova “economia virtual” que Ricardo Nunes considera “estratégica” para o Benefício. “A nossa escolha recaiu na Mintbase, uma vez que esta plataforma global e marketplace é construída na blockchain NEAR, neutra em termos de emissão de carbono”.

A concretização da entrada nesta nova dimensão de comércio electrónico será efectuada numa parceria criativa entre o radialista e músico Tiago Castro e Nuno Gervásio, argumentista e criativo digital, concretizada numa peça visual musical de 700 segundos que tem como ponto de partida a expressão C – 344 277 2 -5 (nome de código da fórmula do novo Gin).
“A utilização dos NFTs nos produtos é um passo para a concretização de uma ambição da nossa marca desde a sua génese, ou seja, que os nossos produtos tenham uma dimensão única, coleccionável e escassa, com vista a que o valor potencial dos mesmos aumente com o passar dos anos”, esclarece Paulo Fernandes.

O valor de cada NFT será de de 1.400 Euros (270 Near). “A utilização deste modelo de transacção do nosso produto permite-nos remunerar de forma justa quem connosco produz, assim como o pagamento devido dos royalties futuros a todos os intervenientes no processo criativo”, conclui Ricardo Nunes.