Foram vacinadas mais de 184 mil pessoas este fim-de-semana

Até às 19h deste domingo foram efectuadas 64.500 inoculações, das quais 57.700 a docentes e não docentes e profissionais das respostas sociais. No sábado até ao fim do dia os registos apontam para as 120 mil vacinações.

Foto
Há mais de 650 mil portugueses com a segunda dose da vacina LUSA/FERNANDO VELUDO

Este domingo, até às 19h, foram feitas 64.500 inoculações, das quais 57.700 foram a docentes e não docentes e profissionais das respostas sociais, segundo a informação disponibilizada pela task force do processo de vacinação contra a covid-19.

Pode dizer-se que foi ultrapassada a meta prevista dos 180 mil vacinados para este fim-de-semana. Somando às de hoje as 120 mil vacinas inoculadas no sábado, foram vacinadas cerca de 184 mil pessoas, na sua maioria professores e outros profissionais das escolas e de respostas sociais. Um registo diário de vacinação que permitiu ao país ultrapassar as 2,5 milhões de doses administradas desde o começo da campanha de vacinação.

Aliás, às 23h59 de sábado, Portugal registou 2.520.842 vacinas administradas, 1.869.400 referentes à primeira dose e 651.442 já com a segunda dose.

Segundo o coordenador da task force do plano de vacinação, o vice-almirante Gouveia e Melo, este fim-de-semana seria uma espécie de teste à capacidade do país para a vacinação em massa.

No sábado, ao fim da tarde, Gouveia e Melo assumiu que, no prazo máximo de um mês, Portugal pode deparar-se com um problema de “estrangulamento”, por não conseguir administrar todas as vacinas que vão chegar entretanto ao país. Para o vice-almirante, esta é agora uma das principais preocupações.

“Estamos a passar de uma vacinação com pouca disponibilidade de vacinas para uma vacinação com muita disponibilidade. Há preocupações, nomeadamente ao nível do estrangulamento”, explicou Gouveia e Melo. Para o responsável pela task force, daqui a duas a quatro semanas podemos “não conseguir administrar as vacinas que estão a chegar em grande quantidade e podemos não as conseguir administrar no tempo útil em que precisamos de o fazer”.

O coordenador da task force do plano de vacinação salientou que a causa para esse estrangulamento pode dever-se a um problema de agendamento ou com um problema de administração de vacinas.

Mesmo assim, as expectativas são que, se tudo correr bem, 70% da população esteja vacinada até ao Verão.