Governo recuou na intenção de reavaliar as barragens da EDP

Ministério do Ambiente apontou, em Janeiro de 2020, para a necessidade reavaliar o equilíbrio económico e financeiro das três barragens do Douro Internacional cujas concessões foram prorrogadas sem concurso público em 2007, mas a avaliação ficou por fazer.

Foto
Barragem de Bemposta em 2012, após intervencão artística de Pedro Cabrita Reis PAULO RICCA / PUBLICO

Em Janeiro de 2020, o Ministério do Ambiente e da Acção Climática (MAAC) respondeu ao PÚBLICO, a propósito de um conjunto de questões relacionadas com a venda das barragens da EDP, que, para fixar o valor da taxa de recursos hídricos (TRH) que o consórcio francês liderado pela Engie teria de vir a pagar por três das seis barragens incluídas no negócio de 2200 milhões de euros, seria necessário considerar o valor destas centrais.