Task force muda regras de distribuição de vacinas para evitar “truques” nas marcações

As três vacinas disponíveis vão “rodar” de região em região, numa estratégia que visa “prevenir que, se por acaso, estas tiverem diferentes respostas às novas variantes, não haja nenhuma zona que não tenha protecção selectiva”, justifica o coordenador da task force responsável pelo plano de vacinação.

Foto
Rui Gaudencio

É uma espécie de lotaria: vai ser mais difícil para as pessoas acima dos 60 anos saber com antecedência qual será a vacina que vão receber, das três actualmente disponíveis em Portugal  (AstraZeneca, Pfizer e Moderna). A task force (grupo de trabalho) responsável pelo plano nacional de vacinação decidiu mudar de estratégia e, a partir de agora, há “um macro plano de rodagem por regiões”, revelou ao PÚBLICO o coordenador, vice-almirante Henrique Gouveia e Melo.