No hospital, “a vida tornou-se o resíduo que existe no corpo e mais nada”

Temos medo da morte e por isso a afastámos tanto da nossa vida. Mas por causa disso, temos ainda mais medo dela.

Foto
José Gil: "Queremos só uma coisa, que é essa pequenina imortalidade de esquecer a morte" Miguel Manso

Temas como o medo e o corpo fazem parte há muito da reflexão do filósofo José Gil. Aos 81 anos, o autor de obras como Portugal hoje, O Medo de Existir ou o recente O Tempo Indomado, ajuda-nos a reflectir sobre as consequências do nosso afastamento da morte, a ponto de “termos vergonha de morrer”.