ComparaJá.pt lança comparador de luz e gás para ajudar famílias a poupar

No mercado da energia não existem períodos de fidelização, pelo que o consumidor pode fazer as mudanças que quiser.

Foto
Mudança de fornecedor de energia pode gerar poupanças elevadas Andreia Patriarca

A plataforma ComparaJá.pt acaba de alargar a sua actividade de comparação de serviços financeiros e de telecomunicações à comparação de tarifários de electricidade e gás natural, com o objectivo de ajudar milhares de famílias a baixar a sua factura de energia a cada ano.

É uma ferramenta gratuita, que pega “no melhor das diferentes soluções que existem no mercado” e que pretende distinguir-se “pela facilidade de utilização”, explica Miguel Ramalhosa, porta-voz da empresa.

O responsável adianta, a título de exemplo, que o utilizador não precisa de inserir manualmente valores de consumo, podendo fazê-lo digitalmente (upload) e sem precisar de instalar qualquer tipo aplicação.

Ainda segundo a mesma fonte, é possível personalizar as simulações de acordo com o perfil e necessidades de cada consumidor – desde a composição do agregado familiar, o tempo normal de ocupação da habitação, se o utilizador prefere tarifa simples ou bi-horária, a sua necessidade de potência contratada na electricidade e o escalão de consumo no gás natural, e a hipótese de simular ofertas de acordo com as opções de adesão ao débito directo e/ou factura electrónica.

O novo comparador, que se junta ao da Entidade Reguladora do Sector de Energia (ERSE), entre outras, agrega 457 ofertas dos 23 fornecedores do mercado liberalizado, permitindo a funcionalidade de filtrar os tarifários de Energia Verde. As ofertas abrangem apenas o segmento doméstico, excluindo comercializadores de último recurso.

Para além da diferença de preços entre as diferentes ofertas, a plataforma quer “desmistificar o processo de mudança de comercializador”.“Para além de ser totalmente gratuito para o consumidor, o processo de mudança é tratado na íntegra pelo novo comercializador, não havendo burocracias associadas, corte de energia ou mudança de contadores”, destaca Miguel Ramalhosa.

O responsável lembra ainda que no mercado da energia não existem períodos de fidelização e não há limites ao número de mudanças de comercializador.