Barcelona é o primeiro finalista da Taça do Rei

Catalães deram a volta à eliminatória diante do Sevilha, que terminou o encontro com nove jogadores.

Foto
LUSA/Alberto Estevez

O Barcelona está na final da Taça do Rei pela sétima vez consecutiva. Depois da derrota por 2-0 na primeira mão das meias-finais, os catalães receberam e bateram o Sevilha por 3-0, após prolongamento e aproveitando duas expulsões que minaram as intenções do adversário.

Os “blaugrana”, a cumprirem uma época bem abaixo das expectativas, estiveram muito perto de serem eliminados. Dembélé inaugurou o marcador logo aos 12’, mas o Sevilha teve hipótese de igualar por Lucas Ocampos aos 71’, com o argentino a desperdiçar uma grande penalidade. O Barça entrou já no tempo de compensação a precisar de mais um golo para igualar a eliminatória e foi o central Piqué quem forçou o prolongamento, aos 90+4’.

Dois minutos antes, já Fernando tinha sido expulso e, aos 103’, foi a vez de o avançado Luuk De Jong ver o cartão vermelho, complicando (e de que maneira) a vida ao Sevilha. Nessa altura, os catalães já tinham passado para a frente da eliminatória, por Braithwaite (95’), e geriram a vantagem até final. 

O segundo finalista da Taça do Rei sairá do embate desta noite entre o Levante e o Athletic Bilbau, depois da igualdade (1-1) no País Basco.

Em Inglaterra, o Manchester United empatou sem golos no terreno do Crystal Palace e permitiu que o vizinho de distanciasse ainda mais na liderança da Premier League. O City tem agora 14 pontos de vantagem sobre os “red devils”, que só não foram ultrapassados no segundo lugar porque o Leicester City também não conseguiu melhor do que um 1-1 em casa do Burnley.

Em Itália, o AC Milan esteve muito perto de sofrer a quinta derrota na Série A, mas minimizou estragos aos 90+7’,  com um golo de Franck Kessie, de penálti. Serviu para empatar diante da Udinese (1-1), sendo que o Inter Milão poderá agora aumentar para seis pontos a vantagem na liderança da Liga. Um pouco mais abaixo, a Atalanta (5-1 ao Crotone) e a Roma (1-2 à Fiorentina) colocaram pressão sobre o terceiro, a Juventus, que tem um jogo a menos.