Portugal é o pior da Europa em novos casos e mortalidade relacionada com a covid-19

Os dados do ECDC referentes aos 14 dias que correspondem à segunda e à terceira semanas de Janeiro indicam que Portugal teve uma taxa de notificações de 1429,43 novos casos por cem mil habitantes e de 247,55 de óbitos por milhão de habitantes.

Foto
Os hospitais portugueses, como o das Forças Armadas, têm aumentado a sua capacidade para tentar dar resposta ao aumento de casos Daniel Rocha

É o topo de um pódio que ninguém quer ter. A avaliação semanal do Centro Europeu de Controlo de Doenças (ECDC, na sigla inglesa) da pandemia da covid-19 em 30 países, divulgada esta quinta-feira, coloca Portugal no primeiro lugar na taxa de novos casos por cem mil habitantes e de óbitos por milhão de habitantes, no período de 14 dias equivalentes às segunda e terceira semanas deste ano. O salto negativo dado pelo país é muito significativo e reflecte a forma como a doença tem crescido exponencialmente desde o início do ano.

O relatório da semana passada já não era favorável a Portugal, colocando-o no pódio dos casos por cem mil habitantes, mas no 3.º lugar (com 1215,19 casos), e no 6.º lugar da taxa de óbitos por milhão de habitantes (178,27 casos) no prazo de 14 dias relativo à primeira e segunda semana do ano. Mas, agora, o país salta para a primeira posição em ambos os casos, ao atingir uma taxa de 1429,43 novos casos de covid-19 por cem mil habitantes, e 247,55 óbitos por milhão de habitantes no período analisado.

O distanciamento entre Portugal e os restantes países da União Europeia/Área Económica Europeia escrutinados pelo ECDC é sobretudo visível na taxa dos novos casos, já que, com excepção de Espanha, com 1026,05 casos por cem mil habitantes, nenhum outro ultrapassa a barreira dos mil. O último lugar do pódio negro é para a República Checa, com 981,71 casos por cem mil habitantes, o que, ainda assim, representa uma melhoria considerável em relação à semana anterior, quando estava na 2.ª posição da lista do ECDC, com 1362,82 casos. Também a Irlanda, que liderava esta categoria na análise anterior, regista uma quebra substancial na taxa de notificação de novos casos a 14 dias, fixando-se agora em 814,42 casos por cem mil habitantes.

Nesta categoria, o número mais invejável é mesmo o da Islândia, que apresenta apenas uma taxa de 25,77 novos casos por cem mil habitantes, na segunda e terceira semana de Janeiro. O país também tem um número de sonho ao nível dos óbitos — zero, é o que nos diz o ECDC. Já Portugal está, também aqui, no 1.º lugar, com a maior taxa de notificação de óbitos por covid-19 por milhão de habitantes.

PÚBLICO -
Aumentar

Com 247,55 casos, o país é seguido a alguma distância pela Eslovénia (208,56 casos por milhão de habitantes) e pela República Checa (204,70 casos). Já o Liechtenstein, que nas duas avaliações anteriores encabeçava esta lista, teve uma queda vertiginosa - de uma taxa de notificação de óbitos de 390,85 óbitos por milhão de habitantes, passou para 78,17, muito longe do pouco apetecido pódio. 

À custa destes resultados, o país aparece totalmente pintado de vermelho escuro, no mapa que acompanha os dados agora revelados, o que indicia que todo o território continental teve uma taxa de notificações a 14 dias de mais de 960 casos por cem mil habitantes — é o único país totalmente pintado com esta cor, no mapa europeu. Os arquipélagos dos Açores e da Madeira estão, a este nível, bem melhor, ficando colocados na faixa entre as 240 e 479,9 notificações por cem mil habitantes.

Segundo o ECDC, desde o início da pandemia e até ao final da terceira semana do ano, os países da UE/EEA analisados reportaram mais de 18,8 milhões de casos de covid-19, mais de 636 mil dos quais em Portugal. Quanto às mortes, elas aproximavam-se perigosamente da barreira das 450 mil, valor que, ao dia de hoje, já terá sido ultrapassado. Os dados absolutos de Portugal que constam deste relatório eram de 10.469 óbitos.

Os dados mais recentes da Direcção-Geral de Saúde, revelados esta quinta-feira, deixam esses valores absolutos bem para trás. Com mais 16.432 casos nas últimas 24 horas e mais 303 óbitos — o pior dia desde a chegada da covid-19 a Portugal —, o país acumulava já, desde o início da pandemia, 685.383 casos e 11.608 óbitos.

Apesar de Portugal ter chegado, apenas esta quinta-feira, ao topo da lista da ECDC, nesta análise sobre a pandemia, o país já tem vindo a ser colocado neste patamar por outras plataformas que avaliam a evolução da covid-19, e ainda no início desta semana isso aconteceu, quando foi apontado como o país do mundo com maior número de novos casos e novas mortes por milhão de habitantes na média dos últimos sete dias, de acordo com algumas das plataformas que recolhem informação estatística sobre a pandemia.