“A pandemia veio evidenciar a importância de se produzir conhecimento que sirva as comunidades”

João Sàágua, reitor da Universidade Nova de Lisboa, explica investimento de sete milhões de euros na criação do Instituto de Arte e Tecnologia. A Trafaria passa a ser um centro de investigação, ensino e criação aberto à população e comunidades locais

Foto

A Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT) e a Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH), ambas da Universidade Nova de Lisboa, juntaram-se à Câmara Municipal de Almada para transformar o antigo presídio da Trafaria num novo e ambicioso Instituto de Arte e Tecnologia. A escritura do direito de superfície, por 50 anos, foi assinada na semana passada. Em entrevista ao PÚBLICO, o reitor João Sàágua diz que o Nova IAT, além de ser o primeiro instituto do género em Portugal, pretende ser uma referência no mundo. O investimento inclui a recuperação dos edifícios que deverão ser parcialmente ocupados em 2022. Mas o instituto já está a funcionar.

Sugerir correcção
Comentar