Viagem para a prisão: dentro do avião que levou Alexei Navalny para Moscovo

O comandante disse que havia um problema técnico e que o avião Berlim-Moscovo teria que aterrar noutro aeroporto. “Ali está o problema técnico”, disse Frank, apontando para o opositor russo. “Está com medo?”, perguntaram-lhe. “Não!”, respondeu Navalny.

armas-quimicas,mundo,vladimir-putin,russia,alemanha,europa,
Fotogaleria
Navalny a falar aos jornalistas no avião Reuters
armas-quimicas,mundo,vladimir-putin,russia,alemanha,europa,
Fotogaleria
Com a mulher, Yulia antes de embarcar KIRA YARMYSH/EPA
armas-quimicas,mundo,vladimir-putin,russia,alemanha,europa,
Fotogaleria
O voo DP 936, que ligou Berlim a Moscovo no domingo HAYOUNG JEON/EPA
armas-quimicas,mundo,vladimir-putin,russia,alemanha,europa,
Fotogaleria
MARIA VASILYEVA/Reuters
Fotogaleria
A prisão EVGENY FELDMAN/Reuters

Para alguns, um lugar na fila 13 podia ter parecido um mau presságio, mas sendo este um voo directo para as mãos de um governo que tentou envenená-lo, essa superstição foi provavelmente a menor das preocupações de Alexei Navalny. Cinco meses depois de chegar de avião a Berlim, inconsciente e a lutar pela vida após ser envenenado por um agente nervoso, o líder da oposição russa regressou ao seu país sabendo que a decisão implicaria ser detido pelo regime que é acusado de o tentar matar e que já o prendeu várias vezes.