Instituto de Telecomunicações de Aveiro procura investigador auxiliar doutorado

Até 26 de Janeiro, podes concorrer à posição de investigador auxiliado doutorado no Instituto de Telecomunicações de Aveiro, no âmbito do projecto EV4Energy.

Foto
Unsplash

O Instituto de Telecomunicações de Aveiro está à procura de um investigador auxiliar doutorado no âmbito do EV4Energy. Este projecto procura colocar o veículo eléctrico baseado em baterias no centro do sistema de distribuição eléctrica. O tipo de contrato de trabalho é de termo incerto e a remuneração é de 3201,40 euros. O concurso é de selecção internacional e está a decorrer até 26 de Janeiro.

Para concorrer, terás de ser titular do grau académico de doutor nas áreas de Informática, Engenharia Electrotécnica e de Computadores “ou área científica afim”. Também poderão concorrer aqueles que tenham “um currículo científico e profissional” adequado “à actividade a desenvolver”.

A candidatura é realizada online, através do portal do Instituto de Telecomunicações. Deverás enviar uma carta de motivação dirigida à direcção do instituto. Aí, devem constar informações como os números de identificação pessoal e fiscal, bem como contactos. Deves ainda enviar uma cópia do certificado de habilitações ou diploma, a tese de doutoramento e o curriculum vitae

O investigador escolhido terá de contribuir para as “actividades de investigação, integração e demonstração de resultados” no âmbito do projecto. Para além disso, representará o Instituto de Telecomunicações e conduzirá “actividades de gestão no âmbito do projecto”. Outras funções previstas são a divulgação de resultados obtidos através de trabalhos científicos e participação na organização de eventos para apresentar e demonstrar o projecto ao público.

Para além disso, os candidatos devem cumprir os critérios de produtividade científica” do Instituto de Telecomunicações. É necessário “ter experiência comprovada no desenvolvimento de electrónica de pequeno e grande sinal de firmware e embedded systems”, bem como “ter obtido pelo menos 100 citações” aos trabalhos científicos “indexados no Scopus”. Na avaliação do percurso científico e curricular, pesarão, por exemplo, a produção científica e tecnológica nos últimos cinco anos e “actividades de gestão de programas de ciência, tecnologia e inovação”.