Emigrar para o Reino Unido? Agora é preciso enfrentar um sistema de pontos “arrogante” e “exaustivo”

A partir de Janeiro, quem quiser trabalhar ou viver no Reino Unido precisa de ter um mínimo de pontos e as fronteiras fecham-se a migrantes não-qualificados ou que não falam inglês. Para quem planeia levantar voo nos próximos meses, este novo sistema de imigração é “arrogante”, acarreta custos e burocracias e obriga a desenhar planos “sem certezas”.

Foto
Helena Monteiro, 24 anos, enfermeira Nelson Garrido

2021 é o ano em que Beatriz Marques concretiza o seu grande sonho. Nem a realidade nublosa do “Brexit” nem as reviravoltas da pandemia travaram a vontade que se arrasta desde a adolescência: deixar Lisboa e ir estudar para Londres, no Reino Unido.