Gumercindo Lourenço tem sido o principal fornecedor do município de Aguiar da Beira

Mesmo depois de as obras do hotel que Gumercindo se comprometeu a fazer terem ficado paradas e de a actual maioria camarária ter entrado em funções em Outubro de 2013, o ritmo das adjudicações às suas empresas, por ajuste directo e por concurso, não sofreu grande alteração.

Foto
Obras do hotel que Gumercindo Lourenço se comprometeu a fazer ficaram paradas paulo pimenta

A principal empresa de construção detida por Gumercindo Lourenço, a Montalvia, facturou 6,4 milhões de euros ao município de Aguiar da Beira, um milhão dos quais na sequência de ajustes directos, desde que o empresário se tornou seu sócio na Caldas da Cavaca S.A., em 2012. Se a esse valor se juntarem os mais de 800 mil facturados por duas outras empresas suas, a Viadaire e a Gumervias, conclui-se que a autarquia lhe adjudicou, no mesmo período, 7,2 milhões de euros em trinta e poucos contratos — o que corresponde a 43% dos 16,8 milhões de euros que gastou em obras públicas num total de 200 contratos.

Sugerir correcção
Comentar