INSA ainda não identificou nova variante britânica do coronavírus em Portugal

Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge está a estudar a variabilidade genética do SARS-CoV-2 desde Abril com amostras chegadas de todo o país.

Foto
LUSA/ANTÓNIO PEDRO SANTOS

O Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) ainda não identificou, até ao momento, qualquer caso da nova variante genética do coronavírus que já circula há mais de uma semana na região sudeste do Reino Unido.

Questionado pelo PÚBLICO, fonte oficial do INSA esclareceu que aquele instituto tem vindo a fazer o estudo sobre a variabilidade genética do SARS-CoV-2 em Portugal, abrangendo todo o país, através da análise do genoma do novo coronavírus que provoca a covid-19, mas até agora não há casos registados da nova variante que mostra ser de mais rápida disseminação.

Este estudo de âmbito nacional, que vem sendo feito desde Abril, analisa amostras chegadas de todo o país – na primeira onda deram entrada cerca de 1700 – representativas da população e das regiões afectadas. Ainda não há resultados finais da segunda vaga, mas os resultados devem ser vistos em sequência, uma vez que Portugal nunca esteve numa situação em que quase desse a pandemia como debelada.

“Este estudo tem como objectivo principal determinar os perfis mutacionais do SARS-CoV-2 para identificação e monitorização de cadeias de transmissão do novo coronavírus, bem como identificação de novas introduções do vírus em Portugal”, esclarece o INSA. Que assegura: “De acordo com os resultados obtidos até ao momento, ainda não foi identificada em Portugal a nova variante genética detectada a circular numa região do Reino Unido.”

A Organização Mundial de Saúde (OMS) apelou neste domingo aos seus membros na Europa para “reforçarem os controlos” por causa da variante do novo coronavírus originalmente identificada no Reino Unido, disse este domingo à agência AFP o porta-voz da OMS para a Europa. De acordo com a OMS, fora do território britânico foi reportado um número reduzido de casos da nova variante, entre os quais nove na Dinamarca, assim como um caso na Holanda e na Austrália. Holanda, Bélgica e Itália anunciaram já neste domingo limitações aos voos para e do Reino Unido. Para já, Portugal não impõe qualquer limite