Tudo foi fácil para o Manchester City na Liga inglesa

João Cancelo e Rúben Dias foram titulares na equipa de Pep Guardiola, mas Bernardo Silva não saiu do banco de suplentes.

Foto
Sterling e De Bruyne celebram em Manchester LUSA/Dave Thompson / POOL

1-0 aos cinco minutos, 2-0 aos 26’. “Jogo feito” muito cedo e tudo fácil para o Manchester City, neste sábado, frente ao Fulham, na jornada 11 da Liga inglesa. Com este resultado, o City chega aos 18 pontos, fazendo uma subida tremenda: ainda que à condição, salta do 11.º para o quarto lugar. Já o Fulham, em dificuldades, poderá terminar a ronda em zona de descida de divisão.

A equipa de Pep Guardiola (que teve Cancelo e Rúben Dias no “onze”) dominou a partida desde o primeiro minuto, com o já habitual controlo com bola no meio-campo adversário. Mas, ao contrário de outros jogos, nos quais a posse pouco se traduziu em incursões perigosas na área adversária, o City conseguiu desbloquear a partida logo a abrir.

Num lance em que o Fulham – que teve Ivan Cavaleiro no “onze” – até defendia em clara superioridade numérica, Kevin De Bruyne disparou em condução pelo corredor central e isolou Sterling, que finalizou com tranquilidade.

Depois de minutos de domínio contínuo, Sterling recebeu uma bola dentro da área do Fulham e, de costas para a baliza, foi rasteirado por Andersen. De Bruyne foi chamado a bater o penálti e não falhou. Sterling, com 20 faltas sofridas dentro da área adversária, é já o jogador que mais penáltis ganhou na história da Liga inglesa.

No que restou do jogo, o guarda-redes francês Areola ainda negou golos a Sterling (32’) e De Bruyne (58’), conseguindo, com a ajuda da trave da baliza (50’) e da falta de pontaria de Rúben Dias (78’), manter o resultado em 2-0. Inútil, ainda assim, para um Fulham que pode terminar a ronda em zona de despromoção.