nina-simone,nick-cave,leonard-cohen,bob-dylan,culturaipsilon,musica,
JOEL RYAN

Nick Cave, a sós com o silêncio, a encarar a tumultuosa alma do mundo

Idiot Prayer, agora editado em cd e vinil e em streaming, é um recital ao piano, é uma prece gospel, é um mergulho no âmago das suas canções e na vida das personagens que a habitam de onde sobressai algo novo.

Nas duas horas anteriores, a luz iluminou a vastidão daquela sala praticamente vazia. Apenas um piano no centro e um homem que, ocasionalmente, bate o pé a acompanhar o ritmo, que mexe e remexe as folhas de letras e pautas, que nos intervalos corrige pormenores com uma caneta barata, que solta uma gargalhada quando se esvai o último verso de uma canção: “Are you the one I’ve been looking for?”. O homem entrara com solenidade por uma das portas imponentes, passos a ecoar com dramatismo, acentuando a solidão vivida naquela sala, e haveria de sair pela mesma porta por breves momentos, regressando segundos depois — cumpria o ritual do encore e destacava nesse gesto o carácter excepcional daquele momento. Nick Cave e Idiot Prayer, o concerto na vazia Alexandra Palace, em Londres, emitido em streaming em Julho e agora lançado em CD, vinil e nas plataformas de streaming.