Torne-se perito Crítica

Choque e tremor

O contrabaixista Hugo Antunes reuniu um trio com dois nomes grandes da improvisação europeia, Agustí Fernández e Roger Turner. Um encontro que faz faísca.

cultura,ipsilon,critica,jazz,culturaipsilon,musica,
Foto
Com a ousadia de Antunes aliada aos veteranos, a música deste trio faz faísca Nuno Martins

Nasceu no Barreiro, estudou na escola do Hot Clube, passou por Amesterdão e Bruxelas e regressou a Portugal. Contrabaixista, compositor e improvisador, Hugo Antunes tem trabalhando num campo musical vasto, que vai desde o jazz mainstream convencional até à música improvisada pura, atravessando múltiplos contextos, desbravando fronteiras. Na sua estreia discográfica, com Roll Call (Clean Feed, 2010), liderou um original quinteto com dois saxofones e duas baterias, numa música que evoluia livremente. Ao longo do seu percurso tem trabalhado com diferentes formações e grupos, encetando colaborações desafiantes. Malus, editado em 2014 pela lituana NoBusiness, foi gravado em trio com dois dos mais respeitados improvisadores da actualidade, os americanos Nate Wooley e Chris Corsano. Um dos seus projectos dignos de destaque é um trio apenas com portugueses, o trompetista Luís Vicente e o baterista Pedro Melo Alves (ainda sem registo gravado). E trabalhou ainda com Rafael Toral, no seu Space Quartet (Clean Feed, 2018), entre outros.