V. Setúbal acusa ex-dirigentes de desvio de dinheiro

Verbas pagas pela transferência de jogador para a Bulgária foram parar a uma conta em Chipre, em nome do anterior director desportivo. Novo presidente já apresentou queixa na FIFA e na PJ contra as anteriores administrações da SAD do clube.

Foto
Auditoria interna encontra irregularidades graves nas contas da SAD do Vitória LUSA/RUI MINDERICO

No início de Setembro de 2018, a direcção da Sociedade Anónima Desportiva (SAD) do Vitória de Setúbal, liderada pelo então presidente Vítor Hugo Valente, cedeu os direitos económicos do jogador Nuno Reis ao Levski da Bulgária, por 150 mil euros. A verba seria dividida em três parcelas iguais a depositar na conta dos sadinos. Mas dois meses e meio depois, os dirigentes que lideravam o futebol profissional do clube alteraram o contrato, fornecendo um novo beneficiário para o dinheiro. Uma conta num banco de Chipre, em nome de Rodolfo Filipe Vaz, na altura director desportivo da SAD. As verbas nunca chegaram aos cofres setubalenses e as alterações bancárias não foram comunicadas à FIFA.