Do bordel de Genet vêem-se os populismos do presente

Jean Genet assume uma importância fundacional na carreira de Nuno Cardoso, e é a ele que o encenador regressa por estes dias para reflectir sobre o mundo “angustiado e desnorteado” que a pandemia exacerbou. O Balcão tem estreia esta terça-feira e pode ver-se até sábado, no Teatro Nacional São João.

teatro-nacional-s-joao,visoes-uteis,jean-genet,nuno-cardoso,teatro,culturaipsilon,
Foto
O Balcão é um ataque de Genet às hipocrisias da sociedade burguesa PAULO PIMENTA

De vestido vermelho e saltos altos, depois da sessão das 19h do filme porno. Foi assim que Nuno Cardoso se estreou no teatro profissional, com o primeiro espectáculo do colectivo Visões Úteis, no Teatro Sá da Bandeira, em 1995. Levavam à cena As Criadas, de Jean Genet (1910-1986), numa encenação de Paulo Lisboa – peça com um título suficientemente sugestivo para o público assíduo das sessões de cinema hard-core do Sá da Bandeira ir ao engano.