Militares vão ajudar Ministério da Saúde a fazer rastreios epidemiológicos

Sobre a eventual requisição de meios do sector privado, Isabel Vaz, líder da Luz Saúde, pergunta: os profissionais de saúde “vão com os doentes que estão a tratar?”

Foto
Nuno Ferreira Santos

Os militares das Forças Armadas vão começar em breve a ajudar a fazer rastreios epidemiológicos a toda a população, de forma a ajudar o Ministério da Saúde a acompanhar as cadeias de transmissão de covid-19 e a detectar surtos. Esta possibilidade foi aflorada pelo primeiro-ministro, António Costa, no final da reunião com o Presidente da República em Belém e, depois à noite, confirmada pelo próprio Marcelo Rebelo de Sousa, em entrevista à RTP1.