João Félix salva o Atlético de Madrid na Champions

Jota também marcou na noite desta terça-feira da Champions, mas pelo Liverpool.

João Félix
Foto
João Félix Reuters/SERGIO PEREZ

Foi uma das melhores noites de João Félix desde que está no Atlético de Madrid. O internacional português bisou na partida que nesta terça-feira opôs os “colchoneros” ao RB Salzburgo e assegurou o primeiro triunfo (3-2) na edição deste ano da Liga dos Campeões à equipa de Diego Simeone.

E a vitória do Atlético foi tudo menos fácil. A jogar em casa, os “colchoneros” viram Marcos Llorente inaugurar o marcador no primeiro tempo, mas os golos de Szoboszlai e um autogolo de Felipe, pouco depois do intervalo, consumaram aquilo que seria uma noite de pesadelo não fosse a inspiração de João Félix, primeiro aos 53’ e, por fim, a cinco minutos dos 90 – o internacional português ainda acertou na barra numa jogada que merecia melhor sorte, logo aos 15’.

Quem também marcou foi Jota, com a camisola do Liverpool (2-0). O avançado português abriu o marcador em Anfield frente aos dinamarqueses do Midtjylland, num triunfo fácil dos “reds” que fecharam a contagem por intermédio de Mohamed Salah, na conversão de uma grande penalidade. A única má notícia para o técnico Juergen Klopp foi a lesão, ainda no primeiro tempo, do brasileiro Fabinho, que pareceu ser grave.

No outro jogo do grupo do FC Porto, o Manchester City venceu com tranquilidade em Marselha. Ferran Torres, Ilkay Gundogan e Raheem Sterling marcaram para a equipa de Pep Guardiola (3-0), que segue com um registo imaculado na liderança. Já a formação orientada por André Villas-Boas mantém um registo negativo somando a 10.ª derrota na prova, iniciado ainda em 2012, prolongado em 2014 e que se mantém esta época.

Real Madrid sofre para empatar

Em maus lençóis continua o Real Madrid, que esteve a perder por 2-0 em Moenchengladbach, mas que evitou um segundo desaire consecutivo na Champions graças a dois golos nos instantes finais da partida com o Borussia apontados por Benzema (87’) e Casemiro (nos descontos).

Em Kiev, o Shakhtar Donetsk do treinador português Luís Castro, parou o Inter de Milão, num reencontro entre dois emblemas que se encontraram na meia-final da Liga Europa da época passada, na qual os italianos cilindraram os ucranianos por 5-0. Desta vez, contudo, a história foi diferente e os campeões ucranianos aguentaram o nulo inicial, podendo agradecer ao seu guarda-redes Anatolii Trubin e à sorte, já que o Inter acertou por duas vezes na barra da baliza do Shakhtar.

Imparável segue o Bayern Munique, que frente ao Lokomotiv de Moscovo prolongou para 13 o número de jogos consecutivos a ganhar na Liga dos Campeões (2-1). Um cabeceamento de Leon Goretzka colocou o campeão germânico na frente do marcador logo aos 13’ e o Bayern bem que podia ter dilatado a vantagem, tendo acertado por uma vez no poste da baliza dos moscovitas. Só que o Lokomotiv reagiu sempre e após uma arrancada do ex-portista Zé Luís, Anton Miranchuk empatou o marcador aos 70’. Mas aquilo que poderia ser a surpresa da jornada não chegou a sê-lo pois nove minutos depois Joshua Kimmich fixou o resultado final.

Sugerir correcção