Madeira comprou cápsulas para transporte de doentes com doenças infecciosas

Novo equipamento custou 11 mil euros, pode ser transportado por via aérea e serve para doentes com covid e outras doenças infeciosas.

,Carro
Fotogaleria
Márcio Berenguer
covid19,saude,sociedade,madeira,medicina,
Fotogaleria
Márcio Berenguer
covid19,saude,sociedade,madeira,medicina,
Fotogaleria
Márcio Berenguer
covid19,saude,sociedade,madeira,medicina,
Fotogaleria
Márcio Berenguer
covid19,saude,sociedade,madeira,medicina,
Fotogaleria
Márcio Berenguer
sociedade,
Fotogaleria
Márcio Berenguer

A Madeira adquiriu duas cápsulas para o transporte de doentes com doenças infecciosas. O equipamento, que custou cerca de 11 mil euros, foi apresentado esta semana pelo secretário regional de Saúde e Protecção Civil, Pedro Ramos, e tem uma dupla função.

Por um lado, permite o transporte seguro de doentes contaminados ou com suspeitas de doenças infecciosas até uma unidade de cuidados saúde, e por outro assegura o encaminhamento de pacientes imuno-comprometidos, protegendo-os do meio exterior. Exemplo, explicou o enfermeiro Leonardo Ferreira, da Protecção Civil madeirense, são os queimados. Têm uma grande susceptibilidade, uma elevada vulnerabilidade para contrair uma infecção, e com este equipamento podem ser transportados para uma unidade de saúde ou entre unidades de saúde, em segurança.

No primeiro caso, o sistema filtra o ar que saí da cápsula, e no segundo, invertendo a pressão no interior, preocupa-se com ar que entra no equipamento.

A compra das cápsulas BIO-BAG EBV – 30/40IN-CH, teve, explicou o gabinete de Pedro Ramos, esse objectivo: Dotar a região autónoma de um equipamento “altamente diferenciado” neste capítulo.

O secretário regional destacou a importância da aquisição deste equipamento, que, disse aos jornalistas, está inserido na política de investimento do governo madeirense na área da protecção civil. Nos últimos cinco anos, contabilizou, foram investidos mais de 22 milhões de euros.

Sugerir correcção