Homem morre em explosão em fábrica de borracha em Melgaço

Explosão deixou uma mulher de 29 anos em estado grave. Comando Distrital de Operações de Socorro de Viana do Castelo diz que são ainda “desconhecidas as causas da explosão que não originou incêndio”.

fabrica,melgaco,inem,bombeiros,viana-castelo,sociedade,
Foto
Adriano Miranda

Um homem de 22 anos morreu esta segunda-feira na sequência de uma explosão numa fábrica de borracha, em Melgaço, e uma mulher de 29 anos em estado grave foi transportada para o hospital, disse à Lusa fonte do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).

A fonte do INEM explicou que a mulher, que “não corre risco de vida, foi transportada para o hospital de São João, no Porto”.

A mesma fonte adiantou que o alerta foi dado cerca das 15h08, tendo sido deslocadas para o local duas ambulâncias de Suporte Imediato de Vida (SIV), uma estacionada em Melgaço e outra em Valença, a Viatura de Emergência Médica (VMER) do hospital de Santa Luzia, em Viana do Castelo, e uma unidade móvel de intervenção em psicologia de emergência.

Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Viana do Castelo disse que são ainda “desconhecidas as causas da explosão que não originou incêndio”. O alerta ao CDOS foi dado cerca das 15h04.

No total, compareceram ao local 16 operacionais e cinco viaturas, entre elas dos Bombeiros de Melgaço.

De acordo com o CDOS, a explosão foi comunicada à Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT) de Viana do Castelo.

Contactado pela Lusa, o presidente da Câmara de Melgaço, Manoel Batista, disse que a Aflex Portugal -Indústria de Borrachas, instalada na zona industrial de Penso, emprega cerca de 100 trabalhadores e “é a maior produtora de tubos de borracha para indústria automóvel do distrito de Viana do Castelo”.

Sugerir correcção