Torne-se perito

Ganna bisa no Giro e João Almeida consolida a liderança

Nesta quarta-feira haverá uma etapa muito aberta, dado o perfil montanhoso, ainda que não muito duro. É um dia desenhado para uma fuga.

volta-italia,modalidades,desporto,ciclismo,
Foto
Almeida no Giro 2020 LUSA/LUCA ZENNARO

Mais um dia para João Almeida com a camisola rosa no corpo. O ciclista português não só segurou nesta quarta-feira a liderança da Volta a Itália como ainda a aumentou: sprintou no final do dia, para ganhar segundos de bonificação com o terceiro lugar na etapa.

Neste contexto, já com 43 segundos de vantagem para o segundo classificado, Almeida poderá, em tese, manter a liderança do Giro até à etapa de domingo, dia em que terá o primeiro verdadeiro teste, numa tirada com chegada em alto.

Na frente da corrida, a etapa acabou por sorrir ao italiano Filippo Ganna, que resistiu da fuga do dia e somou o segundo triunfo na corrida, depois da vitória no contra-relógio da etapa 1. Ganna está, neste momento, a caminho de um Giro tremendo: já venceu duas etapas, já vestiu a camisola rosa e ainda tem mais dois “cronos” pela frente.

PÚBLICO -
Foto

Nesta quarta-feira, a etapa começou com várias tentativas de fuga, mas só à terceira um grupo de seis conseguiu isolar-se, entre os quais o ex-líder Ganna, livre para fazer a sua própria corrida, depois de a Ineos ter tido o abandono do seu líder, Geraint Thomas.

O grupo chegou a ter cinco minutos de vantagem para um pelotão que reduziu, a pouco e pouco, a vantagem dos fugitivos.

A cerca de 30 quilómetros da meta houve outro português em destaque. Rúben Guerreiro saltou do pelotão e tentou juntar-se à fuga, mas sem sucesso. E foi sensivelmente nessa fase que, na fuga, Ganna atacou e, como bom contra-relogista que é, não mais permitiu aproximações aos companheiros de aventura.

No pelotão, a subida ao Valico di Montescuro fez cair do grupo Jonathan Caicedo, deixando João Almeida - que chegou a parecer em dificuldades - sem o principal rival na luta pela camisola rosa (Caicedo estava a dois segundos).

Motivado pela ausência de Caicedo, Almeida ainda foi sprintar na chegada, depois de uma etapa dura, mostrando capacidade física e, sobretudo, ambição e audácia. E foi terceiro na etapa, somando quatro segundos de bonificação.

Nesta quarta-feira haverá uma etapa muito aberta, dado o perfil montanhoso, ainda que não muito duro. É um dia desenhado para uma fuga.

Sugerir correcção