Torne-se perito

Um “voo de pássaro” para fazer crescer o amor pelo Porto

Livro Porto Visto de Cima, do fotógrafo Libório Manuel Silva, mostra a cidade freguesia a freguesia, do oriente ao ocidente, dos lugares mais conhecidos aos mais supreendentes. José Manuel Tedim escreveu o texto e fala da sua adoração pelo Porto

Ponte D. Maria Pia
Foto
Ponte D. Maria Pia Libório Manuel Silva

A “adoração” de José Manuel Tedim pelo Porto só poderia levar a um “sim” ao desafio feito pelo antigo aluno Libório Manuel Silva. O fotógrafo pediu ao historiador de arte que escrevesse um breve texto para acompanhar um livro que mostra a cidade vista do céu – uma viagem pelo Porto, freguesia a freguesia, do oriente ao ocidente, dos vestígios mais primordiais aos traços de modernidade, que precisava de uma “sintética” narrativa sobre a “riquíssima história” da urbe.

PÚBLICO -
Foto
Parque de São Roque LIBÓRIO MANUEL SILVA

José Manuel Tedim está habituado a contá-la. Portuense, professor na Universidade Portucalense, orientador de visitas pela cidade, sabe de cor a história do Porto e não se cansa de buscar novas formas de a contar. Escrever para o livro Porto Visto de Cima (Centro Atlântico) foi, ainda assim, um desafio novo. “A construção do texto foi feita a pensar nas imagens” e com a preocupação de ser delas o “protagonismo” – ou não fosse esta uma obra de fotografia. A jornada de Tedim foi construída desde o Porto do Bispo, passando pelo Infante, o Cabido e a Junta das Obras Públicas, seguindo para a cidade liberal e terminando com olhos postos no que ainda virá.

“É uma cidade de forte personalidade, que marca quem a visita”, comenta numa breve conversa com o PÚBLICO, horas antes de partir para uma visita física pelas ruas e ruelas, que nem os tempos da pandemia são capazes de cancelar. Do centro histórico à majestosa Avenida dos Aliados, passando pelos Clérigos e chegando ao jardim da Cordoaria: esse seria um dos percursos de eleição de José Manuel Tedim, para quem este “voo de pássaro” feito por quase 150 páginas tem como dom a capacidade de fazer nascer novas paixões e medrar as antigas.

Uma das visitas que mais gosta de promover inicia-se no café da porta do Olival, o vestígio mais antigo do Porto, e segue num banco da Cordoaria. “Dando a volta ao banco damos a volta ao Porto”: da cadeia da Relação à praça que já foi mercado, do hospital de Santo António à Reitoria da Universidade do Porto, da igreja de São José das Taipas ao tribunal de São João Novo.

PÚBLICO -
Foto
Rua dos Clérigos com a torre ao fundo LIBÓRIO MANUEL SILVA

Nas fotografias de Libório Manuel Silva (que lançou também o livro Lisboa Vista de Cima) estão os lugares mais turísticos da cidade – Clérigos, Aliados, Ribeira, a Casa da Música ou as pontes – , mas também aqueles que fogem mais dos roteiros e até de alguns portuenses. A beleza do labirinto do Parque de São Roque e as quintas impressionantes de Campanhã, o hospital Conde de Ferreira rodeado de uma enorme mancha verde, a belíssima igreja de Nossa Senhora da Conceição e pormenores de clarabóias, a Casa Tait e o Museu Romântico da Quinta da Macieirinha. Basta voar e deixar o espanto crescer.

Sugerir correcção