Champions: calcanhar de Michailidis trai PAOK no play-off

Gregos fazem um autogolo na recta final, empatam de pronto, mas não resistem ao cinismo do Krasnodar.

desporto,liga-campeoes,futebol-internacional,
Foto
Reuters/ALEXANDROS AVRAMIDIS

Abel Ferreira, treinador dos gregos que eliminaram o Benfica na 3.ª pré-eliminatória da prova milionária, falhou, nesta quarta-feira, em Salónica, o apuramento - seria feito inédito para o PAOK - para a fase de grupos da Liga dos Campeões, onde esperava juntar-se aos técnicos portugueses Pedro Martins (Olympiacos), André Villas-Boas (Marselha), Luís Castro (Shakthar Donetsk) e Sérgio Conceição (FC Porto). 

Os russos do Krasnodar voltaram a impor-se por 1-2 (2-4 no cômputo geral), aproveitando uma traição de Michailidis, que marcou (de calcanhar, aos 73’) na própria baliza, quando o PAOK pressionava em busca do golo que lhe daria a qualificação. Competia ao PAOK pegar no jogo para desfazer a desvantagem da primeira mão. Mas os gregos encontravam um adversário frio, consciente da missão, a controlar os ímpetos ofensivos do rival. 

Na verdade, os russos, que assim se estreiam na fase de grupos, nem precisaram de arriscar muito. E nem a reacção dos gregos, que igualaram por El Kaddouri (77’), impressionou o Krasnodar. No minuto seguinte, Cabella marcou na recarga de uma bola devolvida pelo poste, sentenciando o play-off.

Sem problemas, o RB Salzburgo impôs-se ao Macabi Tel-Aviv (3-1, 5-2 no total) e também segue em frente, tal como o Midtjylland, que recuperou de um susto para golear (4-1) o Slavia de Praga. Os derrotados, esses, caem para a Liga Europa.

Sugerir correcção