dr
Foto
dr

França: veado exausto perseguido por cães de caça gera controvérsia

Um vídeo divulgado nas redes sociais despertou a atenção para a caça furtiva em França. Nele, vê-se um veado em sofrimento, que procurou refúgio na cidade, encurralado por cães de caça. Habitantes e grupos de activistas estiveram no local para defender o animal, que acabou por regressar à floresta.

Em França, a época de caça arrancou de modo controverso. A polémica perseguição de um veado por um grupo de cães de caça em Compiègne no sábado, 19 de Setembro, marcou o começo da temporada que, com a duração de seis meses, finda a Março de 2021. 

Num vídeo partilhado por associações de defesa de animais, que está a correr a Internet, vê-se o veado, exausto e assustado, a desabar no chão no meio da cidade, onde procurou refúgio, enquanto os cães o encurralam. Ali terá permanecido durante várias horas. O animal acabou por ser ajudado por moradores e activistas da Abolissons la Vénerie Aujourd'hui (AVA), que afastaram os cães e os caçadores para o proteger. 

A polícia foi chamada ao local e cercou a zona para controlar as pessoas e para que o animal não ficasse mais assustado. As imagens mostram as pessoas a ajudar o veado que, até regressar à floresta, abalroou grades e outros obstáculos. O grupo só abandonou a zona quando o animal regressou, em segurança, ao seu habitat. 

“Não faz sentido assistir a estas cenas em pleno século XXI”, condenou, em declarações à Franceinfo, Stanislas Broniszewski, porta-voz da AVA, uma associação de combate à caça com cães, que realça que este não foi um caso isolado. “É realmente algo que acontece várias vezes por ano. Quando o animal que estão a caçar se refugia numa prédio, num bairro ou mesmo num jardim, os cães não hesitam em entrar”, disse ao Le ParisienPara o activista, os cães, mantidos em canis e treinados para caçar e matar animais selvagens, são como “ferramentas nas mãos dos caçadores”

Por seu turno, Philippe Marini, presidente da Câmara de Compiègne, relativizou o incidente, que descreveu como “lamentável” em declarações à RTL. “Os caçadores devem ser extremamente cautelosos, mas problemas desta natureza são inevitáveis.”

De acordo com o jornal El País, a caça, praticada todos os anos por mais de um milhão de franceses, sempre gerou controvérsia no país. Segundo o diário espanhol, nos últimos anos têm surgido associações que condenam a caça com cães por ser “perigosa” para peões, pouco “ecológico” e uma “fonte de ruído” para os moradores das zonas vizinhas. 

Texto editado por Amanda Ribeiro

Sugerir correcção