mundo,nelson-mandela,zimbabwe,africa-sul,africa,grecia,
Obituário

George Bizos (1928–2020):
um branco ao lado dos negros

George Bizos morreu na sua casa, aos 92 anos. Tranquilo, dizem. Ao contrário do que foi a sua vida sem tréguas em defesa dos direitos humanos. Grego de nascimento, é à história da África do Sul que o seu nome ficará ligado. Nelson Mandela, Walter Sizulu e Govan Mbeki, entre tantos outros, contaram com a sua defesa corajosa, resiliente e feroz frente à justiça de uma época em que o apartheid falava mais alto do que a razão.

Corro para o pequeno gravador que as novas tecnologias tornaram já obsoleto; abro o velho envelope de papel pardo em que guardo preciosamente as folhas com as notas que fui tomando ao longo das conversas que mantive com George Bizos (primeiro no seu escritório e depois em sua casa, debaixo daquele alpendre onde a luz tornava a vida mais doce). África do Sul. O meu porto de abrigo durante quatro anos. Tempos outros. Que guardo preciosos. Por momentos como esses.