Covid-19: Portugal com o maior aumento de casos em quase quatro meses

Casos diários cresceram 0,8%, o maior aumento desde 8 de Maio. Lisboa e Vale do Tejo e Norte registaram a grande parte dos casos das últimas 24 horas. Portugal aproxima-se das 60 mil infecções — mais de 70% dos doentes já recuperaram.

Nas últimas 24 horas morreram cinco pessoas por covid-19 em Portugal, um aumento percentual de 0,3% — no total, a doença já fez 1838 vítimas mortais. Os números deste sábado da Direcção-Geral da Saúde (DGS) dão conta de mais 486 pessoas infectadas, uma subida de 0,8% que eleva para 59.943​ o número total de casos identificados desde 2 de Março. O número de novos casos das últimas 24 horas representa o maior aumento diário de infecções desde o dia 8 de Maio: nesse dia foram registados 553 novos casos. Desde essa data, os números diários de casos da covid-19 chegaram perto dos dados deste sábado — a 28 de Junho foram registados 457 casos e a 3 de Julho 455 —, mas estes 486 casos representam o valor mais alto em quase quatro meses.

Existem, neste momento, 345 pessoas internadas (mais seis que na sexta-feira) — 41 destas estão nos cuidados intensivos (mais uma). Há 34.212​ pessoas a serem acompanhadas pelas autoridades de saúde. Recuperaram da infecção pelo coronavírus SARS-CoV-2 mais 217 pessoas, num total de 42.793​ casos recuperados. Há 15.312​ casos activos de infecção, mais 264 que na segunda-feira — depois de subtraído o número de recuperados e de óbitos ao total de infecções. A taxa de letalidade global da doença é de 3,1%.

Das novas infecções deste sábado, 47% (ou 230 novos casos) foram registados em Lisboa e Vale do Tejo (LVT), onde também ocorreram quatro das cinco mortes registadas no boletim diário da DGS, 41% (200 novos casos) no Norte e 8% na região Centro (39 novos casos) — esta região registou também um morte nas últimas 24 horas.

Lisboa e Vale do Tejo continua a ser a região que tem o maior número acumulado de casos no país – ao todo, são 30.839 os registos de infecção e 681 mortes por covid-19. O Norte tem 21.654 casos e 849 mortes — é a região com o maior número de vítimas mortais. Já no Centro foram registados 39 novos casos, num total de 4942 infecções e 254 mortes. O Alentejo totaliza 964 casos (cinco novos) e 22 mortes. No Algarve há 1159 casos de infecção (mais nove) e 17 óbitos.

A Madeira totaliza 170 casos de infecção (quatro novos) e zero mortes. Já os Açores registam 215 casos e 15 mortes desde o início da pandemia — o relatório deste sábado reflecte uma descida do número total de casos desta “por força da necessidade de correcção da série histórica e da real atribuição dos mesmos a outra região de saúde”, justifica a DGS.

Desde o dia 24 de Agosto, o concelho de Lisboa foi o que registou mais casos, com 143 novos casos numa semana (num total de 5087), seguindo-se Sintra com mais 139 casos (4279 no total), Vila Franca de Xira, com 99 novos casos (1323 no total), a Amadora, com mais 83 (num total de 2494), a Azambuja, com mais 74 infecções (226 no total) e Odivelas, com mais 57 casos (1806 no total). No Norte, Braga foi o concelho com mais novas infecções (55) na última semana, num total de 1379 casos acumulados. Segue-se Vila do Conde, com mais 53 casos; Guimarães, com mais 52 pessoas infectadas, e Vila Verde, com 51 novas infecções. Recorde-se que a DGS passou a actualizar os dados dos novos casos por concelho apenas uma vez por semana, às segundas-feiras.

Os dados do relatório da DGS indicam que, do total de mortes registadas, 914 são mulheres e 924 homens. As cinco mortes registadas nas últimas 24 horas são referentes a três cidadãos acima dos 80 anos (duas mulheres e um homem) e a duas pessoas entre os 70 e os 79 anos (um homem e uma mulher). Já no indicador dos casos confirmados, verifica-se que 32.958 foram registados em mulheres e 26.985 em homens.

A covid-19 é mais mortal na faixa etária acima dos 70 anos: a doença matou 1592 pessoas com estas idades, o que representa 86,6% de todas as mortes registadas em todas as faixas etárias. Ainda assim, é nas camadas mais jovens que se detectam mais casos de infecção. Entre os zero e os 49 anos, já foram confirmados 34.396 casos (dos 59.943 detectados em todas as faixas etárias).