Festa ilegal em bunker provoca dezenas de intoxicações por monóxido de carbono na Noruega

Uma rave realizada dentro de um bunker acolheu 200 participantes. Intoxicação terá sido provocada por geradores que alimentavam os sistemas de som e luz.

covid19,oslo,acidentes,mundo,noruega,
Foto
Festa foi planeada com semanas de antecedência, sem que as autoridades o descobrissem Reuters/NTB SCANPIX

Uma festa realizada ilegalmente dentro de um bunker em Oslo, na Noruega, acabou com 27 pessoas internadas num hospital por intoxicação com monóxido de carbono, incluindo dois polícias. A rave foi descoberta pelas autoridades por mero acaso, durante uma patrulha. Há cinco feridos graves, mas nenhum corre risco de vida.

Dentro do bunker terão estado cerca de 200 pessoas com idades entre os 20 e os 30 anos. A intoxicação terá sido provocada pelos geradores portáteis que alimentavam os sistemas de som e iluminação.

Segundo a BBC, a “Rave Cave” foi planeada durante três semanas, às escondidas das autoridades. Não se sabe quem organizou o evento e a polícia de Oslo já está a investigar o incidente.

O monóxido de carbono alegadamente libertado pelos geradores não tem cheiro nem cor e pode provocar danos graves no sistema respiratório. Um dos jovens contou à televisão norueguesa NRK que saíra várias vezes para “apanhar ar fresco”. “Quando estás numa sala sem janelas com 50 ou 60 outras pessoas, o ar torna-se pesado”.

À NRK, o jovem revelou ainda que esta não era a primeira vez que uma destas festas era realizada. A empresa proprietária do bunkerStiftelsen Diakonissehuset Lovisenberg, demarcou-se de responsabilidades e esclareceu que não sabia da existência destas festas, classificando-as como “um arrombamento sério” – uma tese fundamentada pelo facto de que as placas utilizadas para cobrir a entrada do local terem sido removidas.

As autoridades apontam ainda que foram vistos vários jovens a sair do bunker e alguns estavam inconscientes no interior da festa. A política também advertiu para que todos os que sentissem náuseas, dores de cabeça e tonturas que se deslocassem ao hospital.

Na Noruega, o consumo de álcool em bares foi proibido a partir da meia-noite, depois dos casos de infecção pelo novo coronavírus terem voltado a crescer.

Sugerir correcção