Ataque deixa em cinzas instalações de jornal crítico em Moçambique

Incêndio destruiu completamente redacção do Canal de Moçambique, no centro de Maputo. Semanário acabava de publicar trabalho sobre disputas políticas e negócios suspeitos no sector do combustível.

frelimo,media,mundo,armando-guebuza,mocambique,africa,
Fotogaleria
Os jornalistas fazem a próxima edição no pátio do edíficio atacado LUSA/RICARDO FRANCO
frelimo,media,mundo,armando-guebuza,mocambique,africa,
Fotogaleria
O fogo foi ateado na redacção no domingo à noite LUSA/RICARDO FRANCO
frelimo,media,mundo,armando-guebuza,mocambique,africa,
Fotogaleria
Não sobram computadores nem outros equipamentos que possa ser usado LUSA/RICARDO FRANCO

O editor-executivo do Canal de Moçambique tem a certeza da natureza e autoria do ataque terrorista com fogo posto que reduziu a cinzas o equipamento da redacção do semanário. “Simplesmente, não temos dúvidas. É muito claro”, respondeu Matias Guente, numa brevíssima conversa por telefone a partir do pátio do edifício atacado – onde já se prepara a próxima edição. “Estávamos mais ou menos à espera de alguma coisa, não de um acto terrorista destes”, diz o responsável de um jornal que se tem destacado pelos trabalhos sobre corrupção e má administração pública.