Sabe quais os anos destas notícias? Então este jogo é para si

Jogo testa os conhecimentos que tem sobre as datas de notícias do PÚBLICO.

premio,internet,publico,aplicacoes,media,ciencia,
Foto
As perguntas são sobre datas de notícias do PÚBLICO Adriano Miranda

Está atento às notícias? E recorda-se em que anos foram publicadas? Há um jogo que põe à prova esses conhecimentos. Chama-se “Jornal do Passado” e valeu a menção honrosa do Prémio Arquivo.pt a Bruno Galhardo. Todas as notícias no jogo foram publicadas no site do PÚBLICO, que é parceiro mediático do concurso. 

Bruno Galhardo é analista de dados e queria aprender a trabalhar com aplicações móveis. Um dia teve conhecimento do Prémio Arquivo.pt – um concurso que premeia projectos que mostrem a utilidade e importância do serviço Arquivo.pt, que preserva milhões de páginas recolhidas da Web portuguesa. Depois, teve então a ideia de fazer um jogo com os dados disponibilizados pela plataforma.

Para desenvolver este jogo, Bruno Galhardo descarregou todas as notícias do PÚBLICO gravadas no Arquivo.pt. “O PÚBLICO era um dos jornais disponíveis no Arquivo.pt com um grande número de notícias e, depois tinha o prémio associado”, refere o analista de dados. A menção honrosa do prémio era dedicada a trabalhos realizados com base nos conteúdos do jornal guardados no Arquivo.pt.

PÚBLICO -
Foto
Exemplo de uma pergunta do Jogo do Passado no modo de jogo simples DR

Este jogo pode ser usado offline, basta descarregá-lo no site da aplicação. Há dois modos de jogo: o simples e o modo torre. No modo de jogo simples, tem de responder a dez perguntas. Em cada pergunta, são apresentadas três notícias do mesmo ano e o jogador tem de escolher um ano. Quanto mais perto estiver do ano, mais pontos faz. Mesmo que não acerte no ano, caso acerte num intervalo perto desse ano é-lhe atribuída uma pontuação.

No modo torre, terá sempre perguntas para responder desde que não falhe muitas delas. Ao todo, há quatro tentativas. Também há três notícias em cada pergunta. No final, em ambos os modos de jogo, o utilizador tem possibilidade de ver as notícias do jogo.

Bruno Galhardo diz que um dos contributos deste jogo é estimular a memória das pessoas. “O jogo apresenta três perguntas porque a pessoa pode não se lembrar de quando um evento aconteceu, mas [com várias opções] pode associar esse evento aos outros e chegar lá”, explica. Além disso, como as pessoas podem ver as notícias no final, isso também estimula a interacção com o Arquivo.pt.

PÚBLICO -
Foto
Bruno Galhardo DR

Numa fase posterior, pode também ter uma contribuição para a investigação científica. Por agora, não está a ser gravada informação sobre os utilizadores, mas se vier a ser guardada podem fazer-se estatísticas sobre o que as pessoas mais acertam ou mais falham, e fazerem-se estudos a partir daí.

Também já há ideias para o futuro. Bruno Galhardo já pensou em disponibilizar o jogo no Google Play ou para utilizadores de iPhone. No futuro, o jogo pode passar também a ser online e haver um ranking nacional. “No modo torre, como não há propriamente um limite de perguntas, as pessoas podem comparar o quão longe outras estarão a ir e fazer comparações”, projecta. O grafismo terá uma constante actualização. “A partir do momento em que estiver com mais utilizações fica mais interessante explorar essas possibilidades.”

No início, a ideia de Bruno Galhardo com este jogo era só entreter o tempo, bem como aprender a desenvolver jogos e aplicações móveis. O analista de dados acabou por ser distinguido com uma menção honrosa e receber uma assinatura anual do PÚBLICO online.

E digamos que estes jogos não são propriamente uma novidade para Bruno Galhardo, de 34 anos. Juntamente com um grupo de amigos participa periodicamente em quizzes. “Já dei [este jogo] a esse grupo e fizeram pontuações bastante altas”, confidencia. No fundo, foram as suas cobaias antes de este jogo estar disponível para um público bem maior.

Sugerir correcção