Torne-se perito

Pinto da Costa e as bancadas vazias: “Para ver espetar facas em animais já se pode ir, para um jogo não pode ir ninguém”

O presidente do FC Porto comemorou o título nacional num jantar com a sua comissão de candidatura e lamentou que a final da Taça de Portugal seja disputada sem adeptos nas bancadas.

Pinto da Costa considera “lamentável” e “inacreditável” que touradas regressem com público antes do futebol
Foto
Pinto da Costa considera “lamentável” e “inacreditável” que touradas regressem com público antes do futebol LUSA/JOSÉ COELHO

O presidente do Futebol Clube do Porto, Pinto da Costa, criticou na quarta-feira a retoma das touradas no Campo Pequeno (anunciada para esta quinta-feira), considerando injusto que a tauromaquia possa voltar com espectadores, mas o futebol não. Citado pelo Jornal de Notícias, o líder portista considerou “lamentável” e “inacreditável” e voltou a pedir o regresso dos adeptos aos estádios.

Pinto de Costa, num jantar de comemoração do título nacional com elementos da comissão de candidatura, aos quais agradeceu o apoio durante as eleições de Junho, lamentou que o regresso dos espectadores às touradas antecedesse o regresso dos adeptos aos jogos de futebol, apesar de serem ao ar livre mas, disse Pinto da Costa, “estamos em Portugal e manda quem pode e não podemos fazer nada”.

Para o presidente do FC Porto, é triste que a final da Taça de Portugal, que se realiza entre o FC Porto e o Benfica no sábado, não tenha qualquer apoio nas bancadas. “Desde pequeno sempre ouvi dizer que a Taça era a festa do futebol. Agora uma festa sem convidados é como um baile sem bailarinos ou sem orquestra. Falta realmente o sal e a vida ao espectáculo”.

O líder dos dragões comentou ainda o jogo em si no jantar, apontando que espera que a sua equipa ganhe no sábado, mas nem a contar o que esperava da final da Taça escondeu a insatisfação de ter as bancadas “injustificadamente” vazias no estádio Cidade de Coimbra.

“Espero o mesmo de todos os jogos em que entramos, espero vencer. Sabemos que não se vence sempre, não há nenhuma equipa do Mundo, por mais forte que seja, que vença todos os jogos. Nós esperamos sempre vencer o próximo, que é a final da Taça. Vamos disputá-la com esse espírito para poder oferecê-la aos adeptos que, infelizmente e injustificadamente, não podem estar no estádio Cidade de Coimbra, o que é uma coisa inacreditável”.

Ao comemorar o 29.º título de campeão nacional dos azuis e brancos, Pinto da Costa aproveitou para criticar também os que duvidaram da reviravolta na corrida ao campeonato e “entregaram” o título ao Benfica, dizendo que o FC Porto lutou “contra tudo e contra todos”. “Depois de ter sido previsto solenemente por um pateta qualquer, que o campeonato estava entregue ao fim da primeira volta, nós demonstrámos, com o espírito de dragão, todos, treinadores, jogadores, dirigentes e adeptos, que afinal de contas o título não estava entregue e viemos a vencê-lo com todo o mérito”.

Mas o intuito do jantar e do convívio era, sobretudo, agradecer àqueles que ajudaram o presidente a ser reeleito em Junho, organizando eleições em plena pandemia. “Esta comissão liderada pelo Fernando Cerqueira foi incansável, tanto na angariação de assinaturas, que foram milhares, como depois, no próprio acto eleitoral, contribuiu muito para que ele fosse exemplar. Toda a gente reconheceu que foi uma prova de civismo e democracia fantásticos nos tempos difíceis que atravessamos e por isso, tive a oportunidade de confraternizar com eles e agradecer todo o seu empenho”.

Sugerir correcção