Para evitar contágio, emigrantes devem “isolar-se” antes de viajarem do Luxemburgo até Portugal

É o país da Europa com mais novos casos de infecção por cada 100 mil habitantes habitantes e não estão previstas quaisquer restrições de entrada em Portugal. Especialista acredita que o Luxemburgo entrou numa segunda vaga do vírus, que mostra como o cenário pode mudar “com enorme rapidez” – e que é preciso assumir que a abertura das fronteiras levará a um aumento de casos.

saude,sociedade,portugal,luxemburgo,virus,doencas,
Fotogaleria
Luxemburgo Johanna Geron/REUTERS
saude,sociedade,portugal,luxemburgo,virus,doencas,
Fotogaleria
Machtum, Luxemburgo Wolfgang Rattay/REUTERS

Em Junho, quase não havia novos casos no Luxemburgo. Agora, é o país da Europa com mais novos casos de infectados com o novo coronavírus por cada 100 mil habitantes, segundo os dados divulgados esta quinta-feira pelo Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças (ECDC, na sigla inglesa) – são 196,1 casos por cada 100 mil habitantes. Ainda que a Direcção-Geral da Saúde (DGS) diga não haver quaisquer restrições previstas a quem chegue do país, o especialista em saúde pública internacional Tiago Correia defende que os emigrantes que venham para Portugal devem “isolar-se” o mais possível nas semanas antes de passarem a fronteira para evitar propagar o contágio.