O nosso plano de recuperação é um cozido à portuguesa

A estratégia portuguesa é menos aborrecida, menos anal-retentiva, mais imaginativa e abundante em propostas e ideias do que a alemã. Mas dá-me a sensação que a estratégia alemã foi pensada para ser cumprida, e aí é que a porca torce o rabo.

No mesmo dia, mãos amigas fizeram-me chegar a “Visão estratégica para o plano de recuperação económica e social de Portugal 2020-2030”, da autoria de António Costa Silva, e o documento sucintamente intitulado “Estratégia Industrial 2030”, do ministério federal alemão da Economia, sem autor individual, e apenas com o subtítulo “Orientações para uma política industrial alemã e europeia”. Em suma, a nossa estratégia de recuperação e a estratégia alemã (ainda pré-covid, publicada em novembro do ano passado).

Sugerir correcção