dr
Foto
dr

Um momento de publicação independente: Edições da Sala 5, Vol. IX – Publicar em tempos de isolamento

Fanzines, edições de autor, livros de artista — nesta rubrica queremos falar de publicação independente. Ana João Romana apresenta Edições da Sala 5, Vol. IX – Publicar em tempos de isolamento.

Apresenta-nos a tua publicação.​
As Edições da Sala 5 começaram em 2011 e são um projecto editorial e pedagógico da disciplina de Livro de Artista da Escola Superior de Artes e Design de Caldas da Rainha. É uma disciplina opcional no 2.º ano da licenciatura em Artes Plásticas.

As Edições da Sala 5 são um assembling que reúne páginas elaboradas pelos alunos, onde cada um traz o seu trabalho autoral desenvolvido em atelier, de forma autónoma. Estas páginas tomam forma em desenho, gravura, pintura, colagem e processos de impressão digital, o que torna algumas páginas múltiplos e outras únicas. Nem todas as páginas são assinadas ou numeradas, ficando esta decisão ao cuidado do autor de cada página. É recuperada a filosofia dos primeiros assemblings dos anos 1970, uma obra em colaboração entre vários autores, para a qual o editor apenas pede as contribuições e define o número da tiragem, questionando e dissolvendo o papel autoral convencional do editor. Todos os autores envolvidos no assembling participam para a definição e produção da publicação. O que faz com que os nove volumes já editados de Sala 5 tomem formas diferentes devido à natureza colaborativa. Este assembling é o resultado de uma prática artística ligada a uma rede de relações que surge no contexto de escola.

O volume IX foi editado e publicado em tempos de isolamento social. Entre Abril e Maio de 2020 reunimos todas as segundas-feiras de manhã, por videoconferência, e trocámos muitos e-mails para chegar a esta publicação. Por consequência, o livro não foi concebido e executado na sala 5 da ESAD.CR, como nos outros anos, mas nas salas das nossas casas.

O título deste volume surge na capa nas sete línguas faladas pelos alunos da disciplina de Livro de Artista – português, inglês, italiano, alemão, polaco, turco e chinês tradicional. Tanto a capa como as guardas são compostas por balões de fala, graficamente próximos dos balões de fala partilhadas nos sistemas de mensagens das redes sociais.

Quem são os autores?
Toda a concepção do livro é decidida em aula, em assembleia, todos dão sugestões e estas são votadas. O volume IX tem páginas de: Alice Bocchio, Ana Bonito, Bárbara Fernandes, Bárbara Micaêlo, Beatriz Portas, Bianca Neves, Catarina Barra, Chiara Fabretti, Daniela Silva, Denise Soares, Elisa Iannicella, Emanuel Cavalheiro, Erica Pimentel, Fátima Andrea, Francisca Menezes, Francisca Neves, Gabriela Forte, Gabriela Marques, Kuan U Leong, Luísa Faria, Luis Schneider, Margarida Alves, Maria Fradinho, Maria Matias, Marta Correia, Melda Orhan, Natalia Brzezinska, Sofia Cabañas, Sofia Maciel e Su Yuxin. O design gráfico é de Elisa Iannicella, o poster/jacket é de Luísa Faria. Quem coordena, edita e publica é sempre a docente da disciplina, neste caso eu, Ana João Romana.

Do que quiseste falar?
A proposta lançada por mim foi reflectir, através de uma página, o que é publicar em tempos de isolamento. Entendemos por publicar o acto de tornar público. Tal como em tudo o que fazemos para as Edições da Sala 5, para responder a esta pergunta lançada pelo P3, durante uma aula por videoconferência, pedi feedback a toda a turma. Assim obtive respostas como: registar o tempo, perceber onde se vai buscar estímulos durante a quarentena, mensagens da família, o desaparecer de vidas, o confinamento, o que é a distância social, o processo de trabalho artístico a partir de casa, o tempo em casa, assistir ao 25 de Abril – Dia da Liberdade em casa, as dimensões do corpo e da energia, a relação com o espaço doméstico – em concreto, o sofá e a janela  as máscaras e a expressão facial, o medo, a fuga, os vizinhos, a impossibilidade da viagem.

Questões técnicas: quais os materiais usados, quantas páginas tem, qual a tiragem e que cores foram utilizadas?
O volume IX das Edições da Sala 5 foi impresso por print on demand, numa gráfica em Itália. Todas as decisões que tomámos sobre o tipo de papel, a encadernação, o formato, o tipo de impressão, o adicionar de um poster, que é em simultâneo o jacket do livro, ou a inclusão de um marcador de livros, foram pensadas tendo sempre em conta o reduzido orçamento que tínhamos disponível. O projecto é independente da escola, tem de ser auto-sustentável, as vendas do ano anterior apoiam a publicação do ano seguinte. O livro tem 44 páginas. Fizemos uma tiragem de 40 exemplares, cada autor recebe um exemplar e dez são para venda.

PÚBLICO -
Foto
Vol 5 DR

Onde está à venda e qual o preço?
Pode ser comprado online, via as nossas redes sociais. O livro custa 15 euros.

Porquê fazer e lançar edições hoje em dia?
Respostas dos meus alunos: pelo prazer de folhear, porque o objecto háptico tem mais impacto que o ecrã, porque estamos condicionados mas não queremos condicionar a nossa criatividade, porque um livro impresso é mais poderoso que um PDF num ecrã, porque o livro transmite o trabalho pessoal de cada aluno de uma forma acessível, o livro não tem confinamento, pode viajar. Porque o objecto livro não é virtual, logo podemos sempre voltar a ele, abri-lo, tocá-lo, guardá-lo para a nossa futura família.

Recomenda-nos uma edição de autor recente lançada em Portugal.
Os estudantes entendem a importância das edições de autor na divulgação do seu próprio trabalho, na forma acessível e democrática como partilham e reflectem sobre o trabalho de jovens artistas. Assim, os meus alunos recomendam a Andrómeda Magazine, sobre a qual já foi publicado um artigo nesta rubrica do P3. 

Também recomendam a revista Dose, que também já foi destacada no P3. Cada número publica projectos de 12 artistas emergentes, em formato digital e formato físico. É apresentada como uma revista de arte e não sobre arte.

Sugerir correcção