Direito de Resposta

Fernando Anastácio e os conflitos de interesse

No jornal PÚBLICO, edição online, de 5 de julho de 2020, foi publicado pelas 15h32, um artigo assinado por Margarida Gomes, com o título: “Apelo a Ferro para investigar eventuais ‘conflitos de interesses’ de deputados.

Nesse texto a dado passo é referido: “Mas há outros nomes envolvidos que não constam da carta.”

“Nós demos apenas alguns exemplos, mas há outros nomes como o do deputado …. e de  Fernando Anastácio, que faz parte da Comissão de Orçamento e Finanças, tem uma empresa de consultadoria fiscal das Finanças.”

Estas afirmações teriam, de acordo com o artigo, sido proferidas por Paulo Morais, amplamente citado nesse artigo. Acontece que Paulo Morais mente! Acresce que o Público poderia ter verificado a veracidade dessa informação, o que presumo que não fez, pois se o tivesse feito, estou certo, não publicaria essa informação, mesmo enquanto declaração de terceiro.

O signatário não tem, nem colabora com qualquer empresa de “consultadoria fiscal das finanças” ou mesmo qualquer empresa de “consultadoria fiscal” e bastaria para o efeito verificar o seu registo de interesses que se encontra no site do Parlamento para se constatar essa evidência.

Termino, pedindo que reponham a verdade dos factos, publicando o presente desmentido, estando certo que não será necessário invocar o direito de resposta.

Fernando Anastácio

Sugerir correcção