No Líbano deixou de ser possível comprar carne e já nem o pão é garantido

Preço da carne vermelha e do frango triplicou e muitas famílias nem sequer têm dinheiro para comprar pão ou vegetais. Desespero sente-se nas ruas do Líbano, com a classe política a ser posta em causa.

corrupcao,alimentacao,mundo,fome,libano,medio-oriente,
Fotogaleria
Protestos contra o aumento do custo de vida no Líbano WAEL HAMZEH/EPA
corrupcao,alimentacao,mundo,fome,libano,medio-oriente,
Fotogaleria
WAEL HAMZEH/EPA
corrupcao,alimentacao,mundo,fome,libano,medio-oriente,
Fotogaleria
"De quantos suicídios precisam?", lê-se num cartaz num protesto contra o Governo em Beirute WAEL HAMZEH/EPA
corrupcao,alimentacao,mundo,fome,libano,medio-oriente,
Fotogaleria
"Assassínio político. As mãos dos meus políticos estão cobertas pelo sangue dos meus cidadãos. Basta!", lê-se no cartaz WAEL HAMZEH/EPA
Beirute
Fotogaleria
Uma mulher acende uma vela no lugar onde um homem de 61 se suicidou devido à fome MOHAMED AZAKIR/Reuters

Na gastronomia libanesa, a carne vermelha assume um lugar privilegiado, desde o tradicional kibbeh (pastéis de bulgur recheados com carne) aos pratos de cordeiro assado, assim como a carne de frango, utilizada em pratos como o jawaneh (asas marinadas em alho) ou o farrouj (frango grelhado com sumo de limão). No entanto, para milhões de libaneses, o acesso a proteína é, hoje em dia, um luxo acessível a poucos.