“O teletrabalho não é uma situação saudável se for prolongado”

O médico infecciologista António Silva Graça avisa que vai demorar muito tempo até haver imunidade protectora da população e diz que a gestão da pandemia não é fácil porque ainda nos faltam “muitas armas” e “muito conhecimento”.

Foto
O infecciologista António Silva Graça Rui Gaudêncio

Durante mais de um mês e meio, o médico António Silva Graça comentou diariamente na RTP a evolução da pandemia de covid-19. Especialista em infecciologia, o major-general na reforma acredita não vamos precisar de voltar a estar confinados no futuro, mas sublinha que vai ser necessário continuar a ter um grande cuidado e intensa vigilância para evitar que surjam surtos de covid-19 e que os mais vulneráveis sejam afectados. “Tudo isto é como se fosse uma pequena onda que chega à praia, temos que esperar que vá molhando a areia progressivamente, não queremos ser surpreendidos por uma onda que possa afogar muita gente”, ilustra, numa altura em que “já há mais de 10 milhões de pessoas infectadas no mundo”. 

Sugerir correcção